segunda-feira, 10 de abril de 2017

GIANT SIZE X-MEN 1 - Ou como os X-men saíram do cancelamento

 Existem momentos em que penso se deveria para o blog com tanta coisa pra fazer e tantos webmasters que produzem conteúdo de qualidade. Aí surge uma treta de socar o estômago na web e vejo que posso realmente acrescentar algo.
    Apesar dos filmes da Marvel estarem fazerem um sucessos estrondoso assim como seu material para o Netflix (mesmo com polemicas a audiência tá la em cima), há uma queda brutal nas vendas, resultando na editora soltando longos discursos para não apenas justificar suas perdas mas convencer o público que suas mudanças serão maravilhosas. Da mesma forma, cada um pega seus discursos para fazer sua própria propaganda ideológica do "real problema do mercado de quadrinhos". Ao invés disso, irei falar sobre o período em que X-Men foi cancelado (aconteceu mesmo nos anos 70!) e como o título retornou com força total. Curiosamente um título cuja base de criação foi justamente estimular o respeito a diversidade, uma das polêmicas recentes.
           Voltando no tempo e tendo como base o livro Marvel- Historia Secreta no comecço dos anos 70 a Marvel tinha formado uma quantia absurda de títulos encabeçada por Stan Lee. Demolidor, Homem-Aranha, Os vingadores, X-men, etc. Ele escrevia os roteiros dos mais de 20 títulos e uma equipe de desenhistas encabeçada por Jack Kirby desenhava. Não preciso comentar que quando você tem uma só pessoa fazendo 20 coisas diferentes algumas delas começam a cair de qualidade. Além disso, os atritos dos desenhistas como Kirby contra o Stan e seus escritores auxiliares estava cada vez maior , já que o salário não crescia na  mesma proporção do trabalho além de uma disputa cada vez maior por direitos autores estar ocorrendo (ja que Stan estruturava tudo como se ele fosse o criador de tudo, quando o visual do personagem e  metade das hitrias era criação dos desenhistas), uma batalha judicial tão árdua que levou o chefe dos desenhista à ir pra Distinta Concorrencia. Quando finalmente foi resolvido isso? Em 2014!
            Uma das revistas afetadas foram os X-Men cuja queda nas vendas levou a seu cancelamento, sobrevivendo apenas na forma de Fera, que ganharia revista solo e seguiria o estilo Marvel Terror (apesar de nunca tem integrado a linha) de anti-heroi que tenta ocultar seu lado (literalmente) monstruoso da humanidade.
              Somente para situar, durante esse período o Instituto Xavier tinha um único o professor (o Professor X), e o grupo de alunos composto por Ciclope, Garota Marvel, Fera , Anjo e Homem de Gelo, com eventuais mutantes malignos arrependidos entrando na equipe.
             E como os X-Men voltariam e se transformariam quase num universo à parte da Marvel com uma dúzia de títulos mensais? Graça a GIANT SIZE X-MEN 1 (publicado no Brasil na Colecao historia marvel -X-Men n2 junto com a Saga da Fênix completa)
             Escrito por Len Wein ( o criador do Monstro do Pântano da DC Comics) e desenhado por Dave Cockrum.
        A hq começa com Xavier recrutando uma nova equipe de mutantes, cada um de um canto diferente do planeta e mostrando a história pessoal de cada, parte criados para a história parte personagens quase terciários recuperados de outras historias da Marvel,  Eis abaixo a lista dos membros dessa equipe pra verem o quão definidora foi essa edição, já que foi a edição em que se tornaram X-men:
             Wolverine ,do Canadá (antes disso era só um inimigo legal do Hulk!)
             Passáro Trovejante, um nativo norte-americano
             Banshee, da Irlanda
             Tempestade, do Quenia (Africa)
             Solaris, do Japão
            Colossos, da Sibéria (e olha que estávamos na época da Guerra Fria!)
             Liderados por Ciclope, esse time extremamente disfuncional (devido ao grande leque de personalidades e motivações de cada um ) iria ate uma ilha de monstros gigantes para resgatar os X-men originais!
Minha edição da coleção histórica
              O sucesso foi grande o suficiente para quem resolvessem retornar com o titulo original que seria apenas uma minissérie se não fizesse sucesso. A partir de então entra o famoso Chris Claremont que desenvolveria os conflitos de cada personagem entre si assim como suas relações familiares, evoluindo até a famosa saga da Fênix(  por isso que puseram tudo junto). Um período tao bom que vive sendo revisitado em múltiplas sagas dos mutantes nos últimos anos (com resultado variaveis de acordo com o artista...)
           
                   Então, vemos a historia micro do exato problema que a Marvel encontra agora em escala macro, com artistas possuindo pouco controle sobre suas obras, quantias absurdas de títulos falando do mesmo assunto e justamente os títulos com apelo a diversidade indo pelo ralo porque raros conseguem produzir qualquer obra decente nessas condições, muito menos algo com temática complexa!
           Qual foi a solução que adotaram? Especiais com historias completas (ao invés de enrolarem infinitamente um enredo), abrirem espaço pra novos autores exercerem sua criatividade com a  recuperação de personagens terciários esquecidos (Wolverine), criacao de personagens totalmente novos agora tutorados pelos clássicos (Ciclope realmente virando um professor no final das contas), cada herói ou vilão com sua historia de vida e sua relacoes familiares exploradas (com um media de uma pagina inteira por personagem pra isso, fazendo você simpatizar com ele e se colocar junto dele como o alundo/soldado rebelde sob o comando de Ciclope).
              E se, pararmos pra pensar essa formula evidencia-se em todos os quadrinhos  de qualidade de qualquer época.