segunda-feira, 13 de março de 2017

Kurt Russell e Sylvester Stallone em Guardiões da Galáxia vol2

   Acho que fui um dos raros espectadores de Guardiões da Galáxia que achou a propaganda do primeiro filme muuuuito genérica e só foi  assistir devido a insistência do amigos, curtindo muito de cada herói e vilão extremamente marcante. A trilha sonora achei legal mas não aquela coisa explodidora de cérebros que falavam tanto.
      Assim, Guardiões da Galáxia 2 precisaria prosseguir aprofundando os personagens e incluindo outros igualmente marcantes para substituir os eliminados no último filme (afinal, ressurreição ainda é um tabu pros filmes da Marvel). Então, surgiu o anúncio que se tornou o principal motivo de eu querer o filme 2: Kurt Russel estará como o pai do Senhor das Estrelas e Silvester Stallone como pirata espacial!
        Alguns pode ficar surpreso de terem pegados dois brucutus dos anos 80. estariam lá apenas pra aumentar o clima retro de Guardiões ( tanto esteticamente quanto pela trilha sonora)? Mas aqui vai um série de curiosidades que justifica perfeitamente a entrade deles no elenco:



Kurt Russell: Mais do que um herói de ação, muitos dos filmes em que estreou são de ficção científica com ação. Fuga de Los Angeles e Fuga de Nova York são exemplos clássicos. Além disso, já lutou contra invasões alienígenas nos filmes Stargate e O Enigma de Outro Mundo! Para completa, é um dos heróis de Aventureiros do Bairro Proibido, simplesmente a fantasia de aventura que inspirou a criação de Mortal Kombat. Tá bom ou querem mais?

Sylvester Stallone: Praticamente criador do gênero "herói de ação" nos anos 80 assim como das obras que definiriam seus subgêneros, acho que apenas George Lucas foi capaz de criar mais do que filmes de sucesso mas 3 franquias cinematográficas que duram décadas (no caso de Stallone foram Rambo, Rock e Os mercenários), o que já o tornaria uma boa escolha pra fazer uma ponta em qualquer filme de ação. Mas ele tem trabalho na ficção científica também! No filme "O demolidor" (Demolition Man em inglês, sem qualquer relação com o herói da Marvel) ,ele interpreta um policial que foi congelado pra um experimento prisional e despertado décadas depois numa suposta utopia futurista (onde tem o famoso trecho onde se fala de Arnold Schwarzenegger como presidente dos EUA) preste a ruir numa grande rebelião!


Por fim, como motivo extra, sempre foi um mistério as recusas de Russel em participar de "Os mercenários", a franquia cross-over de brucutus de Stallone. Com Guardiões da Galáxia vol2, finalmente os aparecerão no mesmo !

segunda-feira, 6 de março de 2017

A anciã do filme do Dr Estranho

         
    Uma polêmica que rolou e ainda rola é sobre as modificações do mestre do Dr Estranho em seu filme.  Afinal, nos quadrinhos ele é  O Ancião, monde tibetano com visual misturado com o de Merlin guardião da chave para a transição de nossa realidade com outras dimensões. Já nos filme tem um maga careca, guardiã da chave de acesso para uma jóia do infinito, de origem celta que treina ele e uma multidão de magos no meio Ásia.
Serpente da Lua + O Ancião = A Anciã
     Fala-se com desculpa que usar o Tibete poderia impedir que o filme fosse para os cinemas chineses. Explicando essa versão da história, o que é fato é a existência de uma cota anula de filme não-chineses que podem ser exibidos no cinemas de lá, havendo uma guerra cinematográfica já pelo gosto dos distribuidores. como resultado, um filme que precise de muita edição pra ir ao cinema será lançado direto pra DVD enquanto outro verá a tela grande, lembrando que até hoje exite movimento pela independência do Tibet contra a China.  Assim, tem ocorrido uma migração enorme de estúdios para China, pois assim tudo já seria feito dentro das normas e sem cotas, abarcando logo de cara um bilhão de consumidores.
              Mas a coisa vai um pouco mais longe. Afinal, A Marvel não mudou simplesmente o país de origem do ancião! O que a Marvel realmente fez?
             Então, quando vi o filme, a primeira referência visual que a Anciã me causou foi de outra heroína da Marvel: Serpente da Lua!
               Uma guerreira-psíquica careca que era a guardiã de uma das jóias do infinito! praticamente o mesmo conceito usado no filme para delimitar a Anciã! N
                 Nos quadrinhos ela já foi parte da Guarda do Infinito, que protegia as jóias de seres como Thano,s assim como dos Defensores, super-grupo liderado pelo Dr Estranho, já tendo partipado como coadjuvante de dezenas de sagas cósmica. Seus poderes são originados do treinamento que recebeu em artes marciais e super-tecnologia de um mundo alienígena que cuidou dela para que pudesse atacar Thanos.
                Então creio que essa é a real base que usaram pra criar a heroína do filme, inclusive por seu histórica se encaixar perfeitamente em toda trama das Jóias do Infinito que unifica todo universo cinematográfico Marvel.
           
             

quarta-feira, 1 de março de 2017

Le Chevalier - Arquivos Secretos

 Na eterna briga entre mangá e comics como influência para a produção de hqs nacionais, ver uma produção brasileira feita em estilo europeu ajudar a temperar ainda mais essa saudável concorrência.
Le Chevalier é um universo stempunk/clockpunk próprio onde as invenções de Jules Verne são reais, com livro e contos que agora se expande para o mundo dos quadrinhos.
Capa da revista
        Isso me fez perguntar para mim mesmo recentemente: um brasileiro criando um universo focado na França do século 19 seria algo bom pra literatura nacional? Então pesquisei e percebi que foi genial a proposta, pois foi justamente nesse período em que ocorreu um intercambio enorme entre os dois países, tanto no sentido cultural quanto na parte de ideológica,  com a França influenciando absurdamente nosso país nesse período, tanto assim que tivemos o Ano da França no Brasil em 2009. Assim, o livro acaba sendo um estímulo a refletir sombre um local e época que forneceram matéria-prima para nossa cultura.
      Sobre a revista, foi publicada como um Graphic Novel com 2 histórias em estilo europeu (combinando perfeitamente com o conteúdo) pela editora Avec, com desenhos de Fred Rubim e roteiro de Andre Zanki.
         Na primeira história, A Besta de Notredame, o maior agente da frança e seu parceiro saem para investigar os assassinatos em torno da famosa catedral, se vendo em meio a conflitos ideológicos sobre inovação vs tradição.
            Na segunda obra, Contra o Dínamo Rubro, temos uma trama de espionagem sobre a introdução da eletricidade nessa realidade, com um grupo de vilões que seria perfeito nos quadrinhos da S.H.I.E.L.D na Marvel, incluindo uma pequena luta de mechas bem feita.
           Apesar serem completamente independentes e completas as  histórias  elas se situam cronologicamente antes do livro "Le Chevalier e a exposiçaõ universal",  servindo como um prequel que expande os cenários e personagens. e quem curtiu a HQ vai adorar leu o livro para saber a evolução dos acontecimentos anos depois.Está disponível tanto na forma física em livrarias quanto na forma digital pelo Social Comics.