segunda-feira, 12 de setembro de 2016

As crônicas de Conan - Volume 1 -A Torre do Elefante e outras histórias

Capa do Volume 1
       Meu primeiro contato com Conan foi há mais de 20 anos, quando um desenho animado atualmente pouco comentado do herói estreava na Rede Globo, na mesma época em que ela também reprisava o segundo filme do herói.
       Sem ele não teríamos boa parte das aventuras de fantasia  que tanto amamos, já que suas histórias foram publicadas 20 anos antes de Tolkien lançar "O Hobbit". He-man inclusive só existe graças a um problema de lançamento de uma linha de brinquedos do Cona que necessitou criar outro personagem/universo para ser vendida.
        E quem é Conan? Séculos antes do período que chamado de história numerosas civilizações se erguiam dos resquícios da queda de Atlântida. Nesse mundo ficcional surge o bárbaro amoral que desconfiava da civilização permeada ainda pela magia negra atlante. Estrategista, ladrão, mercenário e, posteriormente, rei, Conan é o sobrevivente de um mundo selvagem onde aço e feitiçaria se mescla e se digladiam num mundo que está criando as sementes das
primeiras civilizações como nós a conhecemos.
       Originalmente publicado na forma de contos ( e um único romance) por Robert E. Howard, a Marvel adquiriu por uma década os direitos de adaptação para quadrinhos cujas primeiras histórias encontram-se em "As crônicas de Conan".
      Como escritor/adaptador temos Roy Thomas, simplesmente um dos maiores escritores do Homem -Aranha, criador da primera adaptação de Star Wars para quadrinhos assim como o primeiro a continuar a histórico do primeiro filme, alguém cuja genialidade foitão grande que foi o primeiro a substituir Stan Lee como editor da Marvel!
      Já o desenhista é Barry Windsor -Smith, conhecido como roteirista e desenhista de Armax-X , a primeira história detalhada do Wolverine a mostrar o implante do adamantium no seu corpo!
      Para completar, além das 8 primeiras edições da revista "Conan, O Bárbaro", este volume tem ainda uma entrevista com Roy  mostrando as dificuldades burocráticas pelos direitos autorais de Cona (que nem era a primeira opção da Marvel em histórias de fantasia para adaptação pra quadrinhos!) assim como os detalhes por trás de cada edição.