sexta-feira, 25 de março de 2016

O Homen Animal de Grant Morrison


       Pensei por muito tempo antes de escrever algo novamente sobre Grant Morrison, pois é um dos meus escritores favoritos com toda uma visão muito especial sobre as raízes e crescimento do mundo dos quadrinhos, como discute em seu livro Superdeuses.
        Assim , após ler muito material legal dele, finalmente consegui os encadernados da primeira obra dele para uma grande editora, o Homen-Animal, super-herói que já existia e que ele "apenas " revitalizou, mas de forma cheia de diversão e filosofia, o suficiente para  durar 26  edições sua passagem e conseguir vários outros trabalhos até chegar no sua obra prima Multiversidade.
            Minha introdução (ui!) ao Grant começou quando eu era só um estudante colegial passeando no shopping e vendo um gibi do X-men com uma arte meio diferente nas bancas, com o título "E de extinção, o final da saga". Folheando, vi Genosha destruída e um história que me fez comprar. Era fã dos X-men desde a época do desenho que passava na Globo, comprando várias minisséries e one-shots com frequência e essa revista que me fez colecionar a série normal. Histórias sobre o conflito entre o velho e o novo, o adulto e o adolescente, o fanatismo ideológico e a diversidade cultural. Inclusive graças a ele a Joss Whedon, o diretor do filme dos Vingadores, foi trabalhar na Marvel! Pois  Joss voltou a ler X-men por causa das histórias do Grant e foi contratado pela Marvel justamente para substituí-lo no gibi!
            Eu leria depois várias outras histórias dele com personagens como Superman e a Liga da Justiça, mas agora vamos nos concentrar em sua primeira obra que dá título a esse post, o trabalho que o lançou no mercado e mudou a forma de ver os quadrinhos.

Volume 1- O Evangelho do Coiote:
Capa do volume 1
                  Aqui começa a aventura com Buddy, sua esposa Ellen e seus dois filhos. Buddy não tem identidade secreta e pretende transformar o serviço de super herói numa profissão, uma espécie de segurança com super poderes. Claro que ser visto como um herói de terceira categoria enquanto existe uma Liga da Justiça "gratuita" não ajuda em nada. Porém a primeira proposta surge de uma empresa que trabalha em pesquisas com animais. Assim começam as aventuras paralelas de Ellen e Buddy. A primeira tendo que sobreviver a uma tentativa de sequestro quando vai passear com os filhos e Buddy sob a identidade de Homen-Animal, capaz de duplicar as habilidades dos animais próximos. Muito questionamento sobre o processo de ética em pesquisas é destrinchado assim como a sombria origem de recursos da companhia.
                    A seguir temos várias histórias curtas ao longo da revista. Aquela que fica fisicamente central, no meio desta, dando nome a revista e discutindo sobre como o ser humano aborda a violência em nível real e artístico e como as duas se entrelaçam.

Capa do volume 2
Volume 2- Origem das espécies:  Temos  a origem dos poderes do Homen -Animal detalhada e entrelaçada com o de outros heróis do mesmo estilo pouco conhecidos da DC Comics assim como essa conexão com os arquétipos animais do planeta inteiro afeta a realidade ( isso décadas antes de certas histórias do Homem- Aranha) numa aventura na África. Tudo permeado com os problemas e reflexões do ativismo anti-especicismo de Buddy ( que virou vegetariano assim como o próprio escritor da história).

Volume 3- Deus Ex Machina: A metalinguagem em seu auge! Surge James Higwater como guia de Buddy para uma fratura da realidade. Um fratura causada pela saga ( na época recente) Crise nas Infinitas Terras . Assim os poderes de Buddy aliados a sua capacidade e aprender sobre a estrutura da realidade ( cujas bases usa para ter seus poderes animais) permitirá  lutar contra o super-humanos enlouquecidos que surgem por essa fratura cósmica. No entanto, enquanto salvava o universo uma grande tragédia se abate em sua família. Como a mente totalmente abalada com tal paradoxo começa sua busca profunda profunda que o levará para um reino ainda mais profundo do que dos arquétipos animais que usa, o reino das ideias não materializadas, o palco através do qual ira interagir com a interface entre o mundo dele e a nossa própria realidade. Uma história mais do que existencialista, uma história que discute qual o real papel que a histórias em quadrinhos podem ter na nossa vida.

Assim como outras obras boas do selo Vertigo ( o selo adulto da DC Comics) o Homem Animal é um grande exemplo que como material adulto não precisa ser sinônimo de pornografia com litros de sangue ( isso é sinônimo do arte gore, não toda arte adulta!), mas que é ter a liberdade para falar de temas complexos e chocantes com alto grau de profundidade e ainda assim levantar uma colorida chama de esperança para enfrentar as força de nosso mundo real.

Você já leu esta ou outras histórias do Morrison? Compartilhe conosco!

quinta-feira, 17 de março de 2016

Revista da Turma do Ronald MacDonald

Capa da edição que tenho em casa
"Dois hambúrgueres , alfa, queijo, molho especial, cebola , picles e um pão com gergelim".
        A música do Big Mac é conhecida pela maioria das pessoas. O McDonald  tem frequentemente uma abordagem multimídia de propaganda. Já teve boneco dos seus personagens, dancinha oficial ( o Rock do Ronald!),  teatrinho para festas infantis, entre outros. Me lembro  até de um especial infantil que passou na TV contra as drogas ( se alguém tiver mais informações ou imagens contem pra gente). Mas uma coisa que descobri recentemente foi que eles já tiveram uma revista infantil oficial!
               A número 1 saiu em abril de 1994, com a coordenação geral e uma matéria sobre a história dos livros feitas por Ruth Rocha ( a mesma que polemizou falando mal da literatura fantástica recentemente), um conto exclusivo feito por Pedro Bandeira (  O mesmo autor de livros como "A dorga do Obediência"), publicação pela Prêmio Editorial, trimestral e com distribuição inicial de 600 mil exemplares (informações todas na própria revista).
             No caso da primeira edição ( aquela que obtive), o conto se  chama "Correndo pra cachorro" e trata de uma uma história infantil sobre uma corrida de cachorros . O restante da revista é preenchida com páginas de publicidade, jogos infantis ( colorir e adivinhações) ou propaganda na forma de jogos. Uma curiosidade é que um dos anúncios era de uma conta de banco pra crianças!
         Até onde pesquisei na web parece que durou até a edição número 7, o que daria quase dois anos pela periodicidade da revista.
          Se tiverem mais informações sobre essa iniciativa ou de outras de redes de restaurantes na área da literatura compartilhe conosco!

segunda-feira, 14 de março de 2016

Quadrinhos gratuitos da Draco


    Um dos pontos mais complicados do mercado de histórias em quadrinhos é a distribuição das mesmas, especialmente em países de tamanho do Brasil.  Ultrapassando esse problema a editora Draco possui um site onde disponibiliza gratuitamente  hqs nacionais próprias para a leitura, sem precisar de qualquer aplicativo. Abaixo vão as histórias seriadas disponíveis no site:



Baltazar e Colombo correndo com o ídolo dos furiosos nativos
Quack: Vice ganhador do prêmio Henshin Brazil Manga Awards , com um traço que lembra muito o lado mais caricato de Akira Toryama( Dragon Ball) vemos a história do atrapalhado aviador Baltazar e seu pato falante Colombo viajam o mundo atrás de tesouros!  A mistura de covardia e arrogância de Baltazar é o principal inimigo do aviador que aprende com o pato boca suja e rabugento ( e um dos mais engraçados personagens da história) a assumir riscos de maneira cuidadosa. 
            No primeiro arco completo  disponível temos a dupla do barulho aprontando altas confusões numa tribo de macacos falantes em busca de uma estátua de ouro!
Roteiro e Arte: Kaji Pato



Orcs, zumbis e beholders no shopping!
Zikas: Imagine se um mundo clássico de fantasia medieval ( como Senhor dos Anéis) evoluísse até o nosso nível tecnológico. Na cidade de San Paolo onde criaturas míticas são comuns e objetos mágicos estão acessíveis desdes que se tenha grana para pagá-lo o orc Barone deseja tornar-se um ZiKa, um caçador de recompensas. Vivendo aventuras urbanas enquanto tenta sobreviver e mudar seu destino nesse estranho mundo, Barone tem como aliados o anão hipster Muralha, a orc cabeleireira Latiffa e o gnomo Jay.
           Feita com um traço mangá mais puxado pro comics estilizado, a comédia de aventura com muita perseguição bem temperada com crítica social  atualmente tem 2 arcos completos disponíveis, incluindo uma aventura no shopping center mais bizarro dos quadrinhos!
Roteiro: Alessio Esteves e Raphael Fernandes
Arte: Júnior Ferreira


O herói em forma humana e transformado
Starmind : vencedor do Henshin Brazil Manga Awards de 2014, um aqui temos um garoto com o poder de deixar as pessoas inteligentes batendo nelas! Feito em estilo de mangá shonen, já tem uma pequena prévia mostrando a origem dos poderes do heróis, seus aliados e inimigos.
Roteiro: Toppera TPR
Arte: Ryot

Acesso de todos os mangás pelo site: http://dracomics.com/









Quem quiser saber de mais quadrinhos da Draco: http://letraseaventura.blogspot.com/2016/01/analise-dos-quadrinhos-da-draco.html

sábado, 12 de março de 2016

☠ Horror no Cinema Nacional | Documentário





Ótimo documentário on-line feito pelo grupo Scream TV contando sobre os percursos e obstáculos para fazer cinema independente de terror no Brasil, incluindo antevistas com vários diretores independentes como Liz Vamp ( filha de José Mojica, o famoso Zé do Caixão).