quarta-feira, 29 de julho de 2015

100 artigos

 Olá gente! Hoje comemoramos 100 artigos! Então comentarei algumas curiosidades do blog:

Objetivo:  Como meio de divulgar tantos os livros que curtia quanto os detalhes que achava interessantes mas que nunca tinha visto uma análise interessante.

Primeiro artigo: Quando foi anunciado o novo filme de "Bruxos e seus animais mágicos" eu havia acabado de comprar um jogo novo do Harry Potter. Mas estava decepcionado por nunca ter visto uma crítica legal focasse as fábulas sobre lutas étnicas que tanto permeia os livros, que sempre vi como uma reflexão  sobre as milhares de panelinhas dos meios escolares, como o bulling é um meio de perpetuar as desigualdades sociais que vemos fora da escola. Assim, as aulas de amor e tolerância que o livro dá me cativaram muito e resolvi colocar minha opinião na rede. E que data melhor que no Dia das Bruxas?

Primeiro sucesso: A resenha de "A Nascente" foi a primeira que me surpreendeu com o dobro de visualizações que o normal.  Talvez por ser o primeiro polêmico,  talvez por sacudir os alicerces ao perguntar até onde a assistência humanitária ajuda ou cria mais vítimas, até onde vai os limites do individuo e da sociedade. Além desses questionamentos feitos de maneira profunda , seu impacto nos EUA(presente até hoje) assim como no vídeo-game Bioshock o tornam leitura recomendadíssima.

Primeira surpresa: O artigo sobre Os Vingadores, onde usco falar quais arquétipos básicos das histórias estão presentes na construção dos personagens, teve uma aumento brutal na quantia de visitas durante a estréia de "Os guardiões da galáxia". Será que acontecerá o mesmo com o artigo da Liga da Justiça quando o filme "Batman vs Superman" estrear.

Coluna fora de órbita: Criei originalmente pra ser o "off-topic" oficial, comentando de tudo de vez em quando. Aqui surgiram os primeiros artigos de tokusatsu. A vastidão de ideias que tinha para esse tema específica assim como o sucesso dos artigos sobre o tema me levaram a produzir o blog Ocidente Tokusatsu que vcs conferem na aba acima.

Contos: Já tinha criado minha mini-serie Tesouros Cósmicos de ficção científica, mas no blog propriamente dito originalmente comecei com uma Fanfic de Cavaleiros do Zodíaco, mas preferi apagá-la e prosseguir com criações próprias. A leitura do clássico Drácula me deixou empolgadíssimo. Imagina um livro tão bom que mesmo vendo antes uns5 filmes diferentes que adaptam a história a leitura consegue te deixar colado nas páginas? Todo narrado em primeira pessoa pelos heróis do livro, como segmentos de diários, a fascinante rever as origens do Príncipe das Trevas e do Doutor Van Helsing. Assim comecei a escrever a história de seus descendentes lutando contra vampiros,usando algumas ideias que achei no livro original mas nunca vi detalhadas em qualquer adaptação. Atualmente publico aventuras ocasionais do meu herói caçador de vampiros Heitor Haker Helsing nete blog ( atualmente com mais uma aventura) enquanto tenho uma série própria de ficção científica publicada no Tera vs Shoftim.

Parcerias: Todos conhecem a participação da minha querida Camila em alguns artigos. Além disso, ela faz parte do site de cultura pop CheckPoint42 .

Agradeço então por todos os meus queridos leitores!

domingo, 26 de julho de 2015

Novidades da Editora Draco

Olá gente! Estou aqui pra comentar um pouco sobre a principal editora de fantasia brasileira nos livros e hqs!
Suas publicações físicas alternam entre entre coletâneas (onde conheci e me apaixonei pela gênero dieselpunk, um retrofuturismo baseado em supertecnologias movidas a combustíveis fósseis mescladas as visões de futuro da primeira década do século 21)
 Estive recentemente no AnimeFriends e aqui estão algumas beleza que adquiri:
Kaijus!



Monstros Gigantes -Kaiju: Uma coletânea de histórias de monstros gigantes, apenas de autores nacionais. As histórias tem os mais diversos estilos, sendo divididas em 3 grupos: histórias conteporâneas, histórias no passado e histórias futuristas.



Apagão- Cidade sem luz/lei: pela dupla Raphael Fernandes e Camaleão, mostra uma São Paulo onde a
Meu exemplar autografado de Apagão
eletricidade já caiu há vários meses, sendo disputada por gangues, com o grupo Macacos Urbanos tentando trazer ordem e treinar as pessoas para sobreviverem. Mesclando um clima cyberpunk com toques da xamanismo urbano,  uma das melhores coisas já desenvolvidas via Catarse.

E de Extermínio: um dos contos da coletânea Dieselpunk fez sucesso a ponto de ser transformado em romance! O Brasil está em seu terceiro imperador e sendo invadido por um U.S.A com super- tecnologia dos filmes de ficção científica dos anos 50! E para nos defender temos uma família de assassinos psiônicos!
Minhas belezinhas
Dracomics: agora a editora tem uma linha de mangás virtuais seriados, dois deles prosseguindo as histórias ganhadoras do prêmio nacional Mangas awards de 2014( originalmente one-shots publicadas na revista Henhin+ 2014), Quack e Starmid. O primeiro é uma comédia de aventura com toques de Indiana Jones( já imaginou o Capitão Boing da Disney com aventuras solo?) e o outro mostrand oum garoto com o dom de deixar inteligente aqueles que espanca para lutar contra a ignorância( Sim! Uma mangá shone de luta filosófico!), além de outras curiosidades.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Homem-Aranha: Entre Trovões


                  Um dos melhores prazeres da história é sua cronologia. Peter Parker a muito deixou de ser fotógrafo amador para virar professor universitário, cuidado de uma turma bem especial. Deixou de viver com a tia May para viver junto com sua querida Mary Jane. Uma situação bem anos a frente do que observamos na maioria dos seriados e filmes do herói.

                  Herói nos cinemas e nos quadrinhos, o Homem-Aranha tem agora um romance publicado no Brasil!
                 Nessa história o Electro e milhares de robôs com as formas mais alucinantes são a grande ameaça para o Cabeça de Teia, além de ter  J. Jonah Jameson, mais do que nunca, difamando o Amigão da Vizinhança (acusando de ser o verdadeiro terrorista por trás dos ataques robóticos).
                   Além disso, o fato de ser um livro nos presenteia com algo muito especial: discussões profundas sobre os pensamentos de cada personagem, digressões sobre suas grandes aventuras e alguns capítulos são quase 50% dedicados a discutir os poderes do personagem (Seria o sentido aranha um poder psíquico como os do Dr Estranho ou uma ampliação dos sentidos naturais como o Demolidor? Como a presença de super-heróis e vilões influência a visão das pessoas sobre a tecnologia? ) Assim, usando o máximo de recursos desta mídia diferente da habitualmente usada pelo Escalador de Paredes, nosso herói é esmiuçado de manerias novas.
                 Um bom filme tem um trilha sonora eletrizando combinada com sequências de ação onde cada ator vira um co-autor da história. Já os bons quadrinhos quadrinhos  alternam entre texto curtos de impacto e cenas que dariam pôsteres  maravilhosos. Já o livro nos permite mergulhar diretamente dentro da mente dos personagens  e nos deliciar com todas as formas de estruturação da palavras, o que vemos bem neste romance do Homem-Aranha,

sábado, 4 de julho de 2015

O homem que rabiscava


              Uma coisa que poucos sabem é que muitas histórias da Disney publicadas no nosso país não são norte-americanas, mas produzidas por vários estúdios ao redor do mundo, com destaque para a Itália e o Brasil. Inclusive tivemos nos últimos anos a ausência de quadrinhos da turma de Patópolis nos EUA, retomando apenas recentemente.




            Aqui falarei da biografia de Ivan Saidenberg, o escritor brasileiro que responsáveis por muitas histórias da Disney no Brasil. Escrita por sua filha Lucila Simões Saidenberg e lançada pela editora Marsupial, a bio grafia faz parte da série Recordatória, cujo objetivo é o regate da memória dos autores brasileiros de quadrinhos.
              Ivan foi um dos principais escritores do Peninha e do Zé Carioca, criando personagens como Morcego Vermelho, Pena Kid, Pena das Selvas, Morcego Verde, entre outros.
Capa Livro Marsupial              A biografia vai desde como seus avós se conheceram até seus últimos dias afastados do Brasil. O livro mostra como cada pequeno detalhes como seus animai de estimação, as brincadeiras com seus filhos, acidentes e surpresas se transformavam em fonte de suas histórias. Além disso e igualmente importante vemos algo extremamente raro: o funcionamento da Disney brasileira nos anos 60 e 70, com os detalhes da interação entre desenhistas, roteiristas, editores e outros profissionais. Exitem obras que retratam detalhes alguns grandes estúdios de quadrinhos americanos e japoneses, assim como seus respectivos mercados, mas a maioria das obras sobre a produção nacional se dedicam mais a pequenos estúdios e grandes importadores.
           Assim, temos uma obra que fazia muita falta para compreensão do mundo dos quadrinhos, assim como um ótimo estimulo para quem quer desbravar os caminhos da arte-sequencial.


Para quem quiser conhecer mais algumas obras de Ivan  Saidenberg aqui vai o site da autora da biografia em que analisa algumas histórias selecionadas: https://historiascomentadas.wordpress.com/