segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

King Kong e Godzilla

      Mais uma coluna Fora de Orbita, desta vez falando sobre os encontros e influencias dos reis dos monstros no ocidente e no oriente.
abominável homem-das-neves, boitata, Dragon Ball, dragões, fora de orbita, games, Godzilla, King Kong, King Kong vs Godzilla, mapinguari, Primal Rage, pé grande,
       Godzilla e King Kong são considerados os grandes monstros ícones do cinema oriental e ocidental, respectivamente. Mas, e quando eles resolvem “visitar” o lado oposto do mundo, o que acontece?
         O Godzilla esta ligado a imagem dos dragões, presentes em todas as culturas. E o King Kong? Não precisamos ir muito longe pra ver nas historias do pé grande e do abominável homem-das-neves, o primata semi-humano de grandes proporções que vez ou outra ganha filmes e seriados. Mesmo na cultura nativa brasileira esses arquétipos estão presentes. Temos o boitatá, a gigantesca serpente de fogo de habitaria os rios do amazonas (nosso dragão), inclusive havendo uma interessante obra nacional chamada “A sombra dos homens” no qual a cobra gigante enfrenta o terrível Kraken! E ainda possuímos o Mapinguari, um terrível humanoide peludo capaz de imitar o som de qualquer animal, sendo um dos personagens do álbum nacional de quadrinhos “Mapinguari”.     
      O grande filme oficial foi feito em 1962, no Japão, no qual mantém o King Kong vivendo em sua ilha dos monstros até enfrentar o Godzilla. Claro que havia um grande dilema: com ter uma luta equilibrada? A solução encontrado foi fazer um King Kong maior para equiparar com o tamanho do monstro japonês e dar ao gorila a capacidade de absorver a energia dos relâmpago (!!)
      Além  desse filme, temos ainda outras coisas interessantes.
      As visitas do Godzilla no ocidente tem alguns destaques, se iniciando por um seriado da Hanna-Barbera onde uma família de cientistas vivia num barco, tendo como “bichinho” Godzuke, o filho do Godzilla, com o paizão monstro defendendo o filhote e a família humana das mais diversas ameaças.
Outro aparição frequente ocorre no seriado “Rugrats: os Anjinhos”, em que todas as crianças são fãs do monstro Reptar! Cereal matinal, parque de diversões, fantasias, o dinossauros mutante do desenho é uma ótima sátira a toda industria do entretenimento. No mundo real, quando foi lançado o CD oficial de jogo para PC dos “Anjinhos”, o mesmo era uma coletânea de minigames (grande mistério cósmico: POR QUE 90% das jogos de franquias para toda a família são minigames? Ninguém aprendeu com Mario e Sonic que você pode fazer um jogo normal? ) e um dos mesmos era um jogo de dança (!), em que você usava as teclas do PC (!!) para fazer o Reptar rebolar (!!!) enquanto destrói a cidade (!!!!).
        Já nosso amigo peludo foi homenageado de formas bem interessantes no oriente. Em Dragon Ball Z quase todos os protagonistas são de de um raça alienígena capaz de se transformar em gorilas gigantes. O primeiro jogo do Mario também homenageia o filme americano, inclusive com o vilão sendo um gorila gigante chamado Donk Kong que sequestra a namorada do herói! Aumentando mais a lista de curiosidades, quando Donk Kong ganhou franquia própria o grande vilão era um réptil....
        Continuando no mundo do games, Primal Rage era um jogo de luta em que você escolhia entre 7 deuses monstros numa terra apocaliptística, 5 baseados em dinossauros e 2 macacos gigantes. Basicamente uma mistura de Jurassic Park com Mortal Kombat ( produtores de games que lêem esse blog, ouçam meu pedido: um remake, plis!). Rampage Total Destruction era outro no qual eles não chegavam a lutar entre si,mas você escolhia estre um gorila gigante, um dinossauro mutante ou um lobisomem super-crescido para destruir a cidade.

          Caso se recorde de outros homenagens ( ou copias) a estes ícones do cinema de monstros, compartilhe conosco!

        E se quiser saber mais dos filmes das duas franquias, clique aqui .