terça-feira, 17 de junho de 2014

BIOSHOCK : Rapture

          O primeiro livro baseado em vídeo-games analisado pelo Letras e aventuras!

Bioshock, Ficcção Científica, FPS, John Shirley, mutantes, Novo Século, Rapture, Vídeo-games, Ary Rand,

            A projeção de utopias e distopias é essencial para o ser humano, elaborando tanto possibilidades de sociedades "perfeitas" que nos inspirem quanto mostrando as catástrofes que podem afundar uma civilização. Quem nunca imaginou como seria seu próprio país das maravilhas ou uma luta pós-apocalíptica como em MadMax ( apesar de hoje em dia mundos pós-zumbis que estão na moda). Inspirados nesses diversos cenários temos e regado com muita reflexos filosóficas estilo Ary Rand ( a mesma escritora de a A Nascente), foi criado a franquia que revolucionou os jogos de tiro no Playstation 3: Bioshock , onde o protagonista descobre uma cidade submarina criada secretamente na época da guerra fria, onde uma guerra entre cyborgs gigantescos ( os Big Daddy), mutantes artificiais e cientistas loucos corrompeu o lugar e caberá ao protagonista desvendar os mistérios do lugar enquanto desenvolve seus poderes psíquicos.
E o livro surpreende porque não é uma simples adaptação do jogo, mas a história de toda criação da cidade submersa de Rapture, sua ascensão e queda!
Começando pelo mega empresário Andrew Ryan, o fundador, de um lado querendo cair fora da luta entre a União Soviética e os E.U.A, do outro abominando qualquer ideia de controle governamental sobre a economia, planeja Rupture como um lugar onde as mentes escolhidas por ele terão liberdade total para criar uma nova civilização. No entanto, diferente do que imagina, nenhuma sociedade , nem mesmo Rupture, começa realmente do zero, já havendo diferenças brutais entre os cidadãos desde seu início. A medida que vai fazendo vista grossa para os crescentes problemas da cidade em troca da manutenção de seu poder político na mesma, torna-se cada vez perturbado em sua torre cristalina.
         O grande opositor de Andrew Ryan é o pilantra Frank Fontaine , um ladrão e comerciante de roubos que se infiltra na cidade para se aproveitar de todos os vícios morais trazidos por seus habitantes, tornando-se ao mesmo tempo o maior patrocinador de grandes causas (que usa tanto para irritar o governante da cidade quanto como faxadas e pontos de distribuição de seus produtos), com seu auge na venda de Adam, a droga que dá poderes psíquicos a quem pode pagar mais e cuja luta pelo seu monopólio envolverá a cidade inteira.
Por fim, mas igualmente importante temos o engenheiro Bill McDonaugh um dos cientistas que ajudou a projetar a cidade e um dos raros que tenta ver tudo de forma objetiva, testemunhando as lutas de gangue e os problemas técnicos, sem se deixar levar pela guerra ideológica que atinge níveis semelhantes ao de fanatismo religioso. A voz da razão para ajudar a cidade e salvar sua família.
Assim, escrita por John Shirley, Bioshock: Rapture mostra como a luta pelo poder, seja tenológico seja ideológico pode levar tanto ao florescimento quanto ao colapso de uma civilização. Uma escolha ótima da editora Novo Século para enriquecer a literatura de ficção científica sem se prender aos clássicos batalhas espaciais.

Foto:  http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/4945814/bioshock-rapture/