domingo, 11 de maio de 2014

Isto é Tóquio, Charlie Brown!

beisebol, Chalie Brown, Charles M. Schultz, ediotra Nemo, histórias em quadrinhos, humor, Isto é Tóquio, ocidente, oriente, Snoopy, Tóquio, Vicki Scott,

          Charlie Brown, mais precisamente seu cachorrinho Snoopy, marcou muito a infância de pessoas como eu pelos seus desenhos alegres e reflexivos. Adorava os especiais de datas festivas, com cenas clássicas como o "Cachorro da Páscoa "entregando  os ovos coloridos,  Lino aguardando o "Grande Bruxo" no Halloween para receber presentes e Charlie tentando montar um peça de natal com seus amigos. Ainda mais, fiquei muito feliz quando uma série de episódios da série mostrando a história americana interpretada pela turminha do Snoopy passou na TV brasileira, enchendo tanto minha mente com conhecimento quanto meu coração de risadas.
                 Challie Brown, Snoopy e toda sua turma foi criada originalmente pelo cartunista Charles M. Schultz, cujo sucesso é tanto que tem até uma estrela na calçada da fama! Falecido Schultz em 2000, Vicki Scott assumiu a produção dos quadrinhos, o que inclui a presente obra. E se preparem, que ano que vem chega o filme em CGI dessa turminha!
       Algumas das melhores obras são o resultado do encontro entre o oriente e o ocidente. O seriador Transformers, unindo empresas japonesas e americanas, Cavaleiros do Zodíaco, um anime feito com base na mitologia grega, o patel, uma derivação brasileira do oriental rolinho primavera. "Isto é Tóquio, Charlie Brown!" é outra ótima obra.
                Após mais uma temporada de decepções, o time de Charlie é chamado para uma partida entre estudantes em Tóquio. Começando pela tensão de Charlie por representar o país no exterior, as confusões da turma com a bagagem, Marcie dando uma de guia turístico, o passarinho Woodstock lutando contra um Suhi psicopata, Snoopy lutando sumô e uma partida de beisibol inesquecível! Temos até uma cena na loja de  Bonsai que homenagei a escolha de Charlie para árvore de Natal do clássico que mencionei acima.Sem contar ver grandes marcos do japão representados pelo estilo cartunesco dos quadrinhos de Charlie Brown.
Se você conhecer mais algum encontro legal entre ocidente e oriente  ou alguma história legal com a turma dos Charlie Brown compartilhe conosco!

Foto: http://grupoautentica.com.br/nemo/quadrinhos/snoopy-isto-e-toquio-charlie-brown/983

sábado, 10 de maio de 2014

Almanaque dos quadrinhos

Olá galera! Vamos agora falar sobre mais um livro sobre a arte sequencial, mostrando seus aspectos diversos no Brasil e no mundo: “120 anos de história- Almanaque dos Quadrinhos”.
histórias em quadrinhos, quadrinhos nacionais, Franco de Rosa, Almanaque dos Quadrinhos, Dicovery Publicações, super-heróis, Maurício de Souza, Turma da Mônica, 120 anos de história
Dois principais elementos me fizeram comprar estes livrinho: primeiro o nome de Franco Rosa, um dos criadores da antiga editora Mythos, cujos textos teórico eu já conhecia na introdução de diversos livros de desenho, sempre de ótima qualidade, além de apresentar um programa virtual chamado "A Arte do Desenho" em que entrevista vários autores brasileiros de quadrinhos! Em segundo lugar, o fato da mesma estrutura ter sido usada para lançar o ótimo livros sobre mangás que resenhei aqui : http://letraseaventura.blogspot.com.br/2013/12/400-imagens-manga-do-comeco-ao-fim.html
Sobre a obra em si , ela alterna falando sobre o cenário mundial (especialmente o americano) e o nacional. Nesse aspecto se destaca o capítulo 5 no qual cada década dos 120 anos dos quadrinhos é mostrada, mostrando os quadrinhos dos E.U.A e do Brasil, sempre associando com o contexto sociocultural de cada período.
Outro destaque a história do Maurício de Souza, o quadrinhista que criou um verdadeiro império e se tornou Imortal na Academia Brasileira de Letras!  Vemos desde como obras como Gasparzinho, Riquinho e até piadas de rádio influenciaram suas criações até a análise detalhada da estrutura narrativa padrão “Turma da Mônica” das histórias tradicionais do grupo ( o que inclui a Turma do Penadinho, do Piteco, da Tina, etc). Por que tudo é feito com traços grossos? Por que raramente temos qualquer ângulo aéreo nas histórias ( mesmo com personagens com Anjinho e Zá Vampir podendo voar)? Aqui você descobrirá as respostas.
Temos curiosidades dos processos de criação de vários heróis. O fato de Bruce Wayne ter sonoridade parecida com o escritor do Batman Bob Kane não é coincidência! Ou o fato do autor do Conan ser halterofilista (logo, o visual do escritor não ser tão diferente do seu personagem). Até uma reflexão filosófica sobre os motivos que levaram ao sucesso dos super-grupos em detrimento das antigas duplas de heróis.
                Claro que o livro é feito de forma simples de fácil acesso, para que qualquer um possa entender melhor os diversos estilos de quadrinhos.Se você é veterano na área e quer uma leitura leve, serve como um guia de curiosidades e para entender melhor os outros estilos. Se você está começando agora no mundo dos quadrinhos, é um prato cheio.


 Foto: http://www.discoverypublicacoes.com.br/loja/index.php/almanaque-dos-quadrinhos.html

terça-feira, 6 de maio de 2014

Pretty Guardian Sailor Moon 2

"Pelo poder do prisma lunar!"

Olá minha galera do barulho!  Vamos gritar juntos a frase acima de transformação da nossa heroína e entre nessa luta do bem contra o mal!
Artêmis, Luna, Pretty Guardian, Sailor Moon, Sailormoon, Serena, Usagi, Artêmis, Luna JBC, histórias em quadrinhos, mangá, Romance, lua, mitologia, cristal de prata, sailor mercury
 Chegou o segundo volume da saga das guerreiras que dariam a base pra todo o gênero “garotas mágicas” do qual faz parte obras como Sakura Card Captor e Corrector Yui.
Com cada capítulo precedido de uma belíssima ilustração de entrada, finalmente a equipe enfrente o último e mais poderoso dos generais ,ao mesmo tempo que recebe auxílio da Sailor Vênus, cujo poder é bem maior que o das outras guerreiras por ter mais experiência em combate.
Aqui finalmente temos revelada a origem de TUDO, tanto das heroínas quanto de cada um dos vilões, tanta a princesa quanto o famigerado cristal de prata, contando a guerra entre o Planeta Terra e um reina da Lua milhares de anos atrás!  Até a origem dos gatinhos mágicos falantes Artêmis e Luna é contada de forma bem clara que no desenho animado. Junto a isso tudo temos o aumento brutal da tensão amorosa entre Taxedo Mask e Usagi, o que pode por tudo a perder já que os poderes do cavaleiro misterioso estão ligados diretamente aos vilões e o passado de Sailor Moon a indica como uma das responsáveis pelo ressurgimento dos monstros que querem escravizar a Terra!
Apenas complementando,  até a importância do fliperama que comentei no artigo anterior ( http://letraseaventura.blogspot.com.br/2014/05/pretty-guardian-sailor-moon-volume-1.html ) é finalmente explicada na série!

Pensando por alto, começo a ver como Sailor Moon pode ter tido influências ainda maiores do que imaginei. Toda a idéia de poderes vindo das estrelas para defender uma princesa com poderes divinos pode ter muito bem influenciado Kurumada na elaboração de Cavaleiros do Zodíaco em vário aspectos, além da combinação entre cristais, energia vital e poder planetário que é trabalhada em Sailor  aparecer forte em Saint Seiya Omega. E vocês, lembram de mais outra obra que pode ter sido influência pelas nossas marinheiras lunares? Compartilhe conosco!

Foto: acervo pessoal
Editora: http://mangasjbc.uol.com.br/sailor-moon-02/

domingo, 4 de maio de 2014

Universo Valiant 3

Olá meus amigos!

Universo Valiant 3, Harbinger, Blooshot, mutantes, HQmaniacs, editora HQM, Joshua Dysart, Pere Pérez

           Lançada na vigésima edição da Fest Comix ( parabéns aos excelente organizadores) e com a presença do escritor Joshua, da séria Harbinger ( que é super gente fina), finalmente tenho em mãos a Universo Valiant número 3. Vamos à resenha:
                Bloodshoot: Aqui o supersoldado Ciborg Bloodshot se surpreende com a ala chamada de Berçário onde crianças paranormais eram usadas como cobaias pelo projeto secreto Espíritos Ascendentes. Tendo que lidar tanto outros ciborgs assassinos como ele quanto com a crianças mutantes loucas por vingança contra o projeto!
                Interessante que me vêem a cabeça a sequência de filmes Soldado Universal , onde soldados mortos em guerra eram”reativados” com partes biônicas como um esquadrão especial do governo, até alguns deles começarem a reaver suas memórias, um pouco semelhante aos soldados do projeto secreto (incluindo o próprio herói), o que levanta a pergunta interessante: Até onde os agentes inimigos realmente acreditam que estão lutando pela humanidade contra as “crianças mutantes” e até onde há lavagem cerebral que faz eles se considerarem heróis , como era o p´roprio Bloodsoht antes de se libertar de sua programação?
                  Harbinger: Finalmente temos a origem da heroína Zaphir e seu papel fundamental para salvar seus amigos do  projeto secreto Espíritos Ascendentes (sim! Os vilões do nosso ciborg favorito estão tentando capturar mais gente pro “Berçário”). Muito legal é ver não apenas uma NERD ganhando poderes, mas ver como sua ligação forte com os quadrinhos serve não como fuga da realidade, mas como uma forma integrá-la e reconstruí-la.
                A seguir, o líder dos Harbinger tenta coordenar a fuga desencadeada Faith (Zaphir) assim como descobrir o que realmente fazer. O que os lida aos outros heróis? Por que não largar todo mundo, se render ou virar um vilão? A resolução das dúvidas do psíquico Peter Stanchek auxiliará na criação definitiva para a primeira equipe de super-heróis do mundo de Valiant!
                Aqui desejo abrir um pequeno parênteses: até o momento temos duas megacorporações equivalendo a versões mais sombrias da SHIELD ( na verdade uma mistura Arma-x, Sentinelas e MIB,) e da Mansão X (numa mistura de Lexcorp e Instituto Xavier), lutando entre si pelo monopólio dos super-humanos do planeta, que culminará na edição seguinte na “Guerras Harbinger”, onde os heróis das 2 séries se encontrarão no meio dessa guerra para ou salvar os paranormais perseguidos ou enfrentarem os mais psicóticos.

 Algumas vezes penso como o motivo pelo qual essa estrutura prende tanto a narrativa por ser paralela a um evento real: briga entre corporações que ocorre desde a escola, com as múltiplas panelinhas lutando entre si pelos melhores, passando depois para as disputas entre “tribos” de jovens e chegando até facções políticas e corporativas. Alguns disputados por todas, outros rejeitados por todas e outros em dúvidas cruéis sobre onde ficar para o bem tanto de si quanto daqueles que amam. Nas tramas da Universo Valiant, temos justamente aqueles que, num mundo fictício, resolveram criar sua própria opção e as lutas para conseguirem mantê-la, descobrindo assim quem realmente são e o que podem se tornar.

Foto : Acervo pessoal
Para mais, visite : http://www.hqmaniacs.com/editora/
E, mais sobre a Fest Comix: http://festcomix.com.br/joshua-dysart/

sábado, 3 de maio de 2014

Pretty Guardian Sailor Moon Volume 1

      “Não sei porque não posso ser sincera
mas nos meus sonhos eu me confesso”

      Quem assistia na Rede Manchete ou no Cartoon Network deve lembrar do começo dessa musiquinha de abertura do desenho animado. Finalmente, com a autora da serie liberando apenas nos últimos anos o lançamento do manga fora do Japão, a editora JBC nos traz Sailormoon!
Sailor moon, Prety Guardian, Naoko Takeuchi, JBC

       Mas antes vamos conhecer um pouco as origens. Anterior ao nascimento do manga, fez sucesso o primeiro grande seriado estrelado por uma super-heroina onde a mesma era escolhida por Deus (!) para lutar contra o Diabo do Inferno (!!) recebendo, para isso, equipamentos magicosque permitiam ela se transformar, lutar contra os bandidos e se disfarçar, recebendo ate uma assistente mirim com os mesmos poderes (!!!). Seu nome? Estrela Fascinante Patrine! O seriado foi criado por Shotaro Ishimori, o mesmo autor de Kamen Rider, Byocrossers ( o seriado que tem o monstro ladrão de umbigos que tanto falam na web) e dos primeiros super-sentais ( os seriados que originariam Power Rangers)
      Pouco tempo depois a mangaka Naoko Takeuchi lancaria um manga cuja heroína teria um visual semelhante ao da Patrine, mas desta vez auxiliada por um gatinho magico no combate ao crime da cidade onde morava. Assim nasce o manga Sailor Vênus, antes de Sailormoon! Com o sucesso do manga logo e' lancada outra serie em paralelo, desta vez Sailormoon! Interessante como um spin-off conseguir ser ainda mais interessante que o original, como aconteceu no ocidente com o seriado Xena , princesa guerreira, que era um spin-off do seriado Hércules mas que ficou 10 vezes mais famosa que seu precursor.
        Agora, vamos finalmente ao manga!Aqui temos a garota sonhadora e preguiçosa Usagi que salva uma gatinha, recebendo dela os poderes de Sailormoon para lutar contra os monstros que surgem na cidade. Em cada capitulo temos uma guerreira nova sendo “despertada” pela gatinha Luna, sempre misteriosa e se recusando a dar mais detalhes sobre os poderes das guerreiras ou sobre os adversários.
         Ao mesmo tempo os inimigos alternam entre roubar a energia vital das pessoas que chama de “energie” e tentar descobrir onde esta uma joia chamada cristal de prata, perseguida igualmente pelo misterioso ladrão “Taxedo Mask”.
         Uma coisa interessante que, apesar do predomínio mistico com ideia de pedras magicas, energia vital e poderes vindos nos planetas, temos um toque bem interessante de ficção cientifica, com muitas cenas girando ao redor de uma loja fliperamas e com a afinidade da Sailormercury por tecnologia ( ao mesmo tempo que vejo como o Japão sempre foi avançado já que o manga foi feito nos anos 80 e mostra computadores com CD no Japão)
         Quem gostou da serie vai adorar, que quer saber da serie precursora do gêneros “garotas magicas” vai curtir, quem gosta do desenho “3 espias demais” também. O bom que a serie tem 12 volumes e os acontecimentos ocorrem rapidamente, então temos um ano cheio de aventura pela frente!


Foto:http://mangasjbc.uol.com.br/sailor-moon-01/