quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Boas Festas!

Ola,  pessoal!
Agradeço a todos que acompanharam esse ano( e no outro) o blog.
O site agora entrara em período de ferias e retornara no final de janeiro.
Estejam a vontade para deixar suas opiniões e sugestões para os próximos post!
Boas festa para todos!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

King Kong e Godzilla

      Mais uma coluna Fora de Orbita, desta vez falando sobre os encontros e influencias dos reis dos monstros no ocidente e no oriente.
abominável homem-das-neves, boitata, Dragon Ball, dragões, fora de orbita, games, Godzilla, King Kong, King Kong vs Godzilla, mapinguari, Primal Rage, pé grande,
       Godzilla e King Kong são considerados os grandes monstros ícones do cinema oriental e ocidental, respectivamente. Mas, e quando eles resolvem “visitar” o lado oposto do mundo, o que acontece?
         O Godzilla esta ligado a imagem dos dragões, presentes em todas as culturas. E o King Kong? Não precisamos ir muito longe pra ver nas historias do pé grande e do abominável homem-das-neves, o primata semi-humano de grandes proporções que vez ou outra ganha filmes e seriados. Mesmo na cultura nativa brasileira esses arquétipos estão presentes. Temos o boitatá, a gigantesca serpente de fogo de habitaria os rios do amazonas (nosso dragão), inclusive havendo uma interessante obra nacional chamada “A sombra dos homens” no qual a cobra gigante enfrenta o terrível Kraken! E ainda possuímos o Mapinguari, um terrível humanoide peludo capaz de imitar o som de qualquer animal, sendo um dos personagens do álbum nacional de quadrinhos “Mapinguari”.     
      O grande filme oficial foi feito em 1962, no Japão, no qual mantém o King Kong vivendo em sua ilha dos monstros até enfrentar o Godzilla. Claro que havia um grande dilema: com ter uma luta equilibrada? A solução encontrado foi fazer um King Kong maior para equiparar com o tamanho do monstro japonês e dar ao gorila a capacidade de absorver a energia dos relâmpago (!!)
      Além  desse filme, temos ainda outras coisas interessantes.
      As visitas do Godzilla no ocidente tem alguns destaques, se iniciando por um seriado da Hanna-Barbera onde uma família de cientistas vivia num barco, tendo como “bichinho” Godzuke, o filho do Godzilla, com o paizão monstro defendendo o filhote e a família humana das mais diversas ameaças.
Outro aparição frequente ocorre no seriado “Rugrats: os Anjinhos”, em que todas as crianças são fãs do monstro Reptar! Cereal matinal, parque de diversões, fantasias, o dinossauros mutante do desenho é uma ótima sátira a toda industria do entretenimento. No mundo real, quando foi lançado o CD oficial de jogo para PC dos “Anjinhos”, o mesmo era uma coletânea de minigames (grande mistério cósmico: POR QUE 90% das jogos de franquias para toda a família são minigames? Ninguém aprendeu com Mario e Sonic que você pode fazer um jogo normal? ) e um dos mesmos era um jogo de dança (!), em que você usava as teclas do PC (!!) para fazer o Reptar rebolar (!!!) enquanto destrói a cidade (!!!!).
        Já nosso amigo peludo foi homenageado de formas bem interessantes no oriente. Em Dragon Ball Z quase todos os protagonistas são de de um raça alienígena capaz de se transformar em gorilas gigantes. O primeiro jogo do Mario também homenageia o filme americano, inclusive com o vilão sendo um gorila gigante chamado Donk Kong que sequestra a namorada do herói! Aumentando mais a lista de curiosidades, quando Donk Kong ganhou franquia própria o grande vilão era um réptil....
        Continuando no mundo do games, Primal Rage era um jogo de luta em que você escolhia entre 7 deuses monstros numa terra apocaliptística, 5 baseados em dinossauros e 2 macacos gigantes. Basicamente uma mistura de Jurassic Park com Mortal Kombat ( produtores de games que lêem esse blog, ouçam meu pedido: um remake, plis!). Rampage Total Destruction era outro no qual eles não chegavam a lutar entre si,mas você escolhia estre um gorila gigante, um dinossauro mutante ou um lobisomem super-crescido para destruir a cidade.

          Caso se recorde de outros homenagens ( ou copias) a estes ícones do cinema de monstros, compartilhe conosco!

        E se quiser saber mais dos filmes das duas franquias, clique aqui .

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Jogos marcantes

A coluna Fora de órbita de assuntos ligados indiretamente ao blog continua! Aqui farei um top do jogos de vídeo-game  que mais me marcaram de cada console:

Atari - Seaquest: Um dos primeiros jogos em que me viciei, você controlava um submarino cuja missão era resgatar mergulhadores. Escapar de tubarões, reabastecer o oxigênio e lutar contra submarinos inimigos era incrível, tudo embalado ainda por um clima onde ainda reprisava Viagem ao fundo do Mar na TV e começava o seriado futurista Misão Submarina.

Supernintendo - Alladin: Primeiro desenho que vi no cinema e primeiro jogo de Supernintendo que zerei! Toda habilidade de Parkur de Pince of Persia em belos cenários de fantasia árabe,  a alegria de pilotar um tapete voador e um chefe final incrível ( e meu vilão favorita da Disney até hoje)!

PS1 - Dragon Ball Final About : Meu primeiro contato com a franquia Dragon Ball Z, um ano antes da TV a cabo anunciar sua exibição no Brasil. Meu primeiro jogo de luta em 3D e o final contra um macaco gigante dourado!

PS2 -Shadow of Colossus : O  primeiro jogo que zerei no PS2. Um guerreiro solitário em seu cavalo lutando contra uma série de gigantes para salvar a namorada. Cada cenário era uma verdadeira pintura e um pluzze para se resolver até chegar no chefão da fase, o gigante que você tinha de escalar, cada um com um poder e uma fraqueza diferente! O último era tão grande que ocupava várias telas, dando a impressão que você lutava contra o próprio Galactus!

PS3 -Injustice -God Amog Us : O melhor jogo de super-heróis que joguei e um dos melhores de luta, além da qualidade incrível tanto de historia quanto de gráficos. Cenários belos ( e que você pode usar como arma) de um clima de ficção científica mesclados com uma história com nível de um longa de animação bem feito onde a Liga da Justiça auxilia uma dimensão paralela onde Superman virou um tirano, além de um belo final!

E você? Compartilhe quais jogos mais te influenciaram!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

CALENDÁRIO -FILMES DE MONSTROS

                   Olá gente! 
Retornando com a coluna Fora de Órbita ( que ando fora de órbita nos últimos tempos), onde mostro informações de fora da literatura,  trago o calendário com os principais de filmes de monstros gigantes e derivados pros próximos anos!

Godzilla 2, ilha da caveira, King Kong, legendaru, Legendary, Pacifc Rim 2, Power Rangers, saban, Skull Island,



Jurassic Wolrd (Jurassic Park 4) - 12 de julho de 2015 
 A continuação oficial de Jurassic Park!  Finalmente um parque de diversões com dinossauros é criado, mas um experimento para criar novas espécies no parque resulta na grande ameaça do filme

Power Rangers (Novo) - 2 de julho de 2016 . 
O terceiro filme da franquia Power Rangers  (descontando os especiais de televisão). Dentro da cronologia oficial e baseado na primeira temporada da série.

Skull Island ( King Kong) - 4 novembro de 2016 
O filme mostrando a origem de King Kong e como ele se tornou o senhor do mundo jurássico que existe na Ilha da Caveira.

Pacific Rim 2  7 abril de 2017 
Continuação do melhor filme da Legendary Pictures! .Ocorrendo alguns anos depois do primeiro filme. De um lado o uso da tecnologia dos robôs gigantes em um mundo que livrou dos monstros gigantes. Do outro, mais detalhes sobre o mundo do qual vierão os Kaijus ( os monstros do primeiro filme).

Godzilla 2 - junho de 2018 
Confirmado o aparecimento dos inimigos clássicos do rei dos monstros: o pterodátilo supersônico Rodan, a mariposa gigante Mothra e o dragão de 3 cabeças King Ghidorah !

Lembrando que as datas de estréia são nos EUA.
E aguardando informações dos 2 longas japoneses de SHINGEKI NO KYOJIN..

Curiosidades: Excetuando Power Rangers, todos os outros filmes estão sendo feitos pela Legendary Pictures, a mesma responsável por Jack , O caçador de Gigantes e pelo remake Fúria de Titâs ( 1 e 2) .  Na minha opinião, o que a Marvel fez com os filmes de super-heróis a empresa está fazendo com o gênero monstro gigante.


E se quiser conecer mais das influencias de King Kong e Godzilla pelo mundo, clique aqui .

Fontes:

http://omelete.uol.com.br/cinema/power-rangers-novo-filme-nao-sera-um-reboot/#.VHeYzTTF9OI

http://cinepop.virgula.uol.com.br/jurassic-world-diretor-esclarece-que-portao-do-novo-parque-dos-dinossauros-nao-e-de-cgi-84129

http://omelete.uol.com.br/cinema/skull-island-novo-filme-de-king-kong-contrata-roteirista-de-gigantes-de-aco/#.VHeV4DTF9OI

http://www.adorocinema.com/noticias/filmes/noticia-108825/

http://jovemnerd.com.br/jovem-nerd-news/cinema/pacific-rim-2-ganhou-seu-primeiro-teaser-poster/

sábado, 29 de novembro de 2014

Homem -Formiga

De volta com a coluna Fora de Órbita!

   Hoje quero discutir um pouco do filme do Homem- Formiga, o primeiro filme da nova leva de heróis da Marvel e um daqueles que se tem mais receio. Afinal, o que poderia se esperar de alguém cujo poder e' falar com as formigas e mudar de tamanho?
    Como  já virou ponto comum falar dos medos que se tem do filme, aqui farei o contrario e rebaterei justamente essas criticas, mostrando como existe a possibilidade de de ser um dos mais incríveis filmes da Marvel se for bem executado.

Filme, fora de orbita, histórias em quadrinhos, Homem -formiga, Marvel, Os vingadores, Quadrinhos, super-heróis,

Primeiro rebato as principais criticas com os seguintes argumentos:

1) Personagem quase desconhecido cujo nome é alvo de piadas:
O filme do Capitão América era visto com o mesmo grau de desconfiança pelos motivos semelhantes, somado ao forte anti-americanismo que estava ( e ainda está ) em pauta.  Além de ser um ótimo filme de super-herói da Segunda Guerra,foi o primeiro a reunir diretamente e com louvor todos os filmes anteriores  e criar a base pra Shield (viva a agente Carter)! O Homem- Formiga foi, nos quadrinhos, um dos fundadores dos vingadores. Desta forma, ele pode ser o grande  ponto de união de todos os heróis novos que serão lançados como a Capita Marvel e o Pantera Negra.

2) Super Poder Ridículo:
Isso é muito relativo. Terra de Gigantes, Ultraman, Shingeki no Kiojin, Querida Encolhi as Crianças ( que além de filme teve seriado), entre muitos outros, foram ótimas produções onde a ideia de mudança de tamanho é um dos elementos principais.

3)Ausência de Menção nos filmes anteriores:
Os últimos filmes de Marvel assim como o seriado da Shield mostram continuamente várias tecnologias secretas de super-armas desenvolvidas ao redor do globo, alvos de disputas entre a Shield e Hidra. A tecnologia de encolhimento pode ser uma delas. Alem disso, pode ter alguma referencia nova no filme Era de Ultron.

Agora quero mostrar algumas possibilidades de roteiro com base na informações ja disponibilizadas do filme. Sao apenas algumas especulações  minhas mas ajudam a ver todo o potencial do que esta por vir.

1) A SHIELD e a HIDRA lutando entre si pelo controle da tecnologia de mudança da tamanho. Hanry Pym teria a esposa falecida na invasão alienígena  de Vingadores. Scott Lang seria um ladrão especializado em obter as altas tecnologia deixadas para trás nos conflitos entre heróis e vilões ( justificando ele ir atrás do equipamento de mudança de tamanho do dr Pym)

2) Insetos são sobreviventes, alguns capazes de resistir a climas extremos e até radiação! Com a cisão entre a Shield e A Hidra, temos uma guerra entre os cientistas que pesquisavam artrópodes a fim de criar seus soldados imunes a guerra nuclear.

3) Nos quadrinhos Hanry Pym foi responsável pela criação do Ultron. Considerando que o filme do robô vai ser exibido alguns meses antes do Homem-Formiga, talvez o longa do nosso herói inseto seja uma continuação direta do Vingadores 2, com os destroços de Ultron sendo disputados pelo globo, Scot Lang caçando os fragmentos e o dr Pym sendo o principal pesquisador do legado de Ultron.


Deem também sua sua opinião!

Foto: http://pt.wikipedia.org/wiki/Homem-Formiga

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Sailor Moon S

 Olá gente! Desta vez falarei chamada fase S ( de Super Sailor Moon ) do manga shojo mais famoso!
    O atual seriado Sailor Moon Crystal adaptada as primeira e segunda temporada dos quadrinhos, abrangendo os Os Volumes do 1 ao 5, primeiro mostrando o retorno de 2 civilizações antigas que lutam pelo domínio do planeta, depois  uma guerra em mundo futurista regido pelos poderes psíquicos.
Sailor moon, Sailormoon, volume6, volume 7, volume 8, Super Sailormoon, fase S, Sailor Saturn, Sailor Urano, Sailor Netuno, Sailor Plutão, Chibimoon, Chibiusa, Naoko Takeuchi,
    Assim, você se pergunta: o que resta  para explorar na série?
    A terceira saga, Sailormoon S, que abrange os volumes 6, 7 e 8 do mangá, responde isso com maestria. O clima de ação e romance das outras temporadas diminui para dar destaque ao suspense. Uma escola japonesa é famosa por ser criadora de mestres da ciência, dos esportes e das artes pelo planeta inteiro, mas agora vários fenômenos sobrenaturais passam a surgir no local, aumentando ainda mais os mistérios em torno da fábrica de gênios que nunca revela seus segredos. Entre esses segredos, o motivo pelo qual todas as grandes batalhas entre o bem e o mal da série serem no Japão!
      Junto com isso temos o desenvolvimento da Chibiusa. A primeira Sailor sem ligação com um astro específico, rompendo os ciclos anteriores de batalhas para dar origem a uma nova linhagem de combatentes da luz. Taxedo Mask diminui seu lado herói para aumentar o seu lado de pai para cuidar da menina ao mesmo tempo que Usagi tem que aprender a ser uma boa tutora para a criança.
       E finalmente a equipe se completa com as novas Sailors, correspondentes aos planetas externos do Sistema Solar!  Praticamente uma equipe completa que vê as antigas Sailors menos como aliadas e mais como rivais, ligada a busca dos itens mágicos capazes de destruir o mal daquele lugar.
       Talvez um dos pontos mais interessantes seja a capacidade da série conseguir manter a mesma fórmula e se renovar, algo que vimos constantemente nos heróis mais famosos  ( e que por isso conuam famosos, sempre se renovando sem perder sua identidade). O imperador do mal com seu braço direito e seus generais (um para cada heróina) estão lá, mantendo a ideia de um Super Sentai feminino, assim como o " rangers extras misteriosos". Mas tudo num clima bem diferente, envolvendo sociedades secretas universitária mesclada a grande briga entre adultos e adolescentes, uma briga não apenas externa, mas que ocorre dentro de todos nós durante nosso crescimento.

Pra ver conhecer o início da série Volume 1

A primeira temporada continua Volume 2

A chegada de Chibiusa Volume 3

Guerras num mundo futurista Volume 4

A análise final da segunda temporada Volume 5

Para que quer saber mais sobre Super Sentais : Cemitério dos Dragões

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Arnold Schwarzenegger - A inacreditável história da minha vida


         Prendendo-nos na cadeira  com as perseguições de Exterminador do Futuro, fazendo-nos gargalhar com Um tira no Jardim de Infância ou lançando-nos numa era lendária através de Conan, Arnold   Schwarzenegger marcou profundamente nossa cultura com o arquétipo do herói fortão debochado e com um dos sorrisos mais marcantes do cinema.

arnold schwarzenegger, biografia, Conan, Peter Petre, Exterminador do futuro, um tira no jardim de infância, A inacreditável história da minha vida, Califórnia, fisioculturismo, sextante,

       Escrita junto com Peter Petre e lançada no Brasil pela editora Sextante, sua biografia mostra desde sua infância numa Áustria destruída pela guerra até o renascimento cinematográfico pós-carreira política.

        Primeiramente temos uma descrição detalhada de um país devastado que perdeu a guerra, onda a carreira militar era obrigatória e os E.UA. eram mostrados como o lugar mais civilizado do planeta. Fascinado com os filmes de Hollywood (exibidos juntos com propaganda americana), Arnold busca um meio da alcançar fama mundial, encontrando o caminho do fisioculturismo quando descobre que o campeão austríaco desse esporte treina perto de sua cidade! Assim começa seu treinamento físico diretamente com o campeão, tendo que lidar com os estudos e o auxílio de sua família e a rígida educação dada pelo pai militar.

            Sua carreira de ator está diretamente ligada ao fisioculturismo, já que era moda os grandes esportistas serem chamados para estrelarem filmes. Além disso, buscando divulgar a modalidade que foi ( e ainda é ) vista com muito preconceito e pouco conhecida fora do mundo da malhação, o uso do cinema seria perfeito para fazer essa ferramento tão apreciada por Arnold para moldar o próprio corpo ganhar destaque, tanto que sua primeira grande estréia é no documentário "O homem de músculos de Aço",  filme que inclusive está no acervo do Netflix!

            Nesse contexto, Arnold vai contando seus acetos erros, desde detalhes da produção de seus principais filmes ( como quando quase recusou o papel de Exterminador ou as dificuldades para entrar no mundo da comédia), alternando com o mundo das academias ( onde seus dotes de administração floresceram) e até investidas exóticas que deram certo ( como o investimento no mercado imobiliário que resultou no seu primeiro milhão).

          Nos últimos capítulos do livro temos sua vida política, iniciada já dentro dos mundo cinematográfico ( que permitiu contanto com famosos das mais diversas áreas),  o quanto seu casamento estava envolvido nisso e seu governo na Califórnia. O interessante dessa área é ver todas as propostas do Arnold e as dificuldades para implementá-las ( um verdadeiro manual do que se deve e do que não se deve fazer em negociações). Além disso, vemos os detalhes do sistema político norte americano, algo do qual mal fazemos ideia.

          Para quem curte cinema, política, esportes ou simplesmente simpatize com o astro recomendo! E pra que quer ver uma homenagem legal a cultura dos filmes de ação aconselho um filme pouco conhecido do Schwarzenegger em que um garoto acha um bilhete mágico que permite entrar dentro dos filmes, "O último grande herói"!

Foto: http://www.esextante.com.br/

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Dia do Tokusatsu!

Olá, gente!
Hoje se completam 60 anos da primeira exibição de Godzilla! Aproveitando o momento vários sites coordenado pelo Mega Hero estão comemorando-o como Dia do Tokusastu ( já que é  partir dele que começa a onda de filmes de efeitos especiais que origina os heróis japoneses atuais. Inclusive o estúdio original do monstro, o TOHO, é quem criai o famoso Ultraman!), aproveitando para divulgar esta parte tão divertida da cultura oriental.

Aproveitando, aqui coloco o artigos do blog ligados ao tema:

Cemitério dos Dragões : O livro brasileiro que mistura fantasia medieval e ficcção cietífica, inspirado diretamente em clássicos como Jaspion e Power Rangers!

Tokusatsus : O que é e a jornada deste gênero de super-heróis no Brasil!

Combo Rangers : História em quadrinhos brasileira que mescla mangá, tokusatsu e comics!

Godzilla : Notícia de livro baseado no filme

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

JOGANDO XADREZ COM OS ANJOS

       Quem aqui já assistiu ao filme "A princesinha " na  famosa "Sessão da Tarde" conhece a história da menina quase orfã que é largada pelos pais para viver sob uma tutora rígida que a maltrata, encontrando esperanças no seu mundo interno onde a fantasia e a realidade se mescla de forma tão sutil e encantadora.
Fabiane Ribeiro, Jogando Xadrez com os Anjos, anjos, A Princesinha, Labirinto do Fauno, Matilda, Segunda Guerra Mundial, Inglaterra, literatura brasileira, literatura nacional,
      Já outro filme do gênero, onde a própria família é parte do mal que corrói a garota, temos "Matilda", cuja fantasia interna da criança é realmente capaz de se materializar em nosso mundo.
      Lembrando ambas as produções, entre outras do mesmo estilo, temos o livro  "Jogando Xadrez com os Anjos". Em uma Inglaterra em reconstrução após a Segunda Guerra Mundial,  Anny vive isolada do mundo pelos pais por um motivo misterioso, até ficar aos cuidados de uma tutora cruel que transforma a jovem numa verdadeira escrava dentro de casa. Auxiliando-a no mundo real temos o travesso Pepeu, o poeta com ares de Peter Pan, que secretamente auxilia a menina.
      Já na interface entre a realidade e alma temos o Mundo do Xadrez, criado pela mente da garota para mergulhar em busca da alívio e esperança onde terá contato com seres que são mais reais do que ela poderia imaginar.
        Talvez um dos maiores êxitos do livro seja a reflexão sobre a natureza do sofrimento. Afinal, como lidar quando somos magoados por aqueles que mais amamos? Como lidar quando descobrimos que alguém, aprecia nosso sofrimento? Como lidar com o sofrimento alheio? O contexto da obra, situado numa época onde os órfãos e a insanidade proliferaram devido a guerra, onde pessoas sombrias aproveitam do caos pós conflito  para prosperar como abutres, alimentando-se da tragédia alheia, é o clima perfeito para desenvolver a história.
       O poder da imaginação humana mostra-se, quando aliado ao amor, como a grande chave para combater o mal, seja na forma dos guerreiros de cristal inspirados no tabuleiro de Xadrez que auxiliam nossa heroína, seja na própria jovem capaz de de achar a beleza em cada detalhe que vê, seja no próprio Pepeu, que usa sua criatividade para ajudar os outros ( e cuja história de vida é uma da partes mais belas do livro).
         Desta forma, mesclados numa trama cheia de mistério ( Qual o segredo dos pais de Anny? Por que seus tutores são tão amargos? Qual a verdadeira natureza do Reino do Xadrez  que parecer ser mais que uma criação mental da garota?), esses elementos conduzem a trama deliciosa escrita por Fabiane Ribeiro.
       Se o filme "Labirinto do Fauno" ( cuja protagonista é uma garota que vive num mundo mágico para escapar do horrores da segunda guerra mundial) tivesse uma continuação, com certeza teria que ser escrita pela autora desse livro.

domingo, 5 de outubro de 2014

Realidades Adaptadas


   Hoje temos não um romance, mas o livro de contos que reúne as histórias de Philip K. Dick que originam grandes obras do cinema! Para quem não conhece, é o escritor do livro que originou "Blade Runner, o Caçador de Andróides". Além disso, é um dos autores de ficção científica com maior número de histórias adaptadas para o cinema, tanto que o livro reune 7 delas!
     E por que "Realidades Adaptadas"? Porque todas tem em comum o questionamento sobre a percepção do mundo, seja interior ou exterior. Então, vamos para as histórias!
Agentes do destino, ficção científica, Impostor, Marte, mutantes, O pagamento, O relatório minoritario, O vidente, O vingador do futuro, Philip K. Dick, Realidades adaptadas, Screamers, viagem no tempo,


Lembramos você a preço de atacado : História que  originou "O vingador do futuro"! Aqui existe um mercado de lembranças artificiais, onde você pode comprar uma aventura que será implantada no seu cérebro para tornar sua vida mais divertida. A idéia de memórias falsas é tema recorrente em histórias fantasia e ficção científica, sendo o melhor exemplo o herói Wolverine, cujas lembranças foram implantadas para torná-lo um assassino, da mesma forma que o herói Bloodshot e em milhares de outras aventuras. Mas aqui é o próprio protagonista que quer implantar memórias falsas em si mesmo!  Apesar de muitos verem isso como distante da realidade, quando observamos o funcionamento do cérebro observamos estudos indicando que cada vez que lembramos de algo aquela memória é modificada naturalmente pela nossa química cerebral. Até onde nossos lembranças são aquilo que vivemos e aquilo que acreditamos ter vivido?

Segunda variedade: Inspirador do filme "Scremers", temos um planeta devastado onde a guerra entre os EUA e a União Soviética resultou na criação de robôs combatentes que tornaram o mundo quase inabitável. Considerando o fato da história ter sido publicada em 1954 , me pergunto se ela não seria a real inspiração para filmes como "O Exterminador do futuro".

Impostor: Base do filme homônimo, uma guerra da Terra contra alienígenas resulta na paranoia da existência de robôs disfarçadas de humanos capazes até de simular nossa biologia, para desespero de quem quer identificá-los. Seria essa a fonte de idéias pro seriado "Battlestar Galactica"?

 O relatório minoritário: "Minority riport-A nova Lei", é um dos meus filmes prediletos e o conto que o originou me arrebatou igualmente em sua narrativa. Como no filme, o sistema Pré-Crime é capaz de identificar criminosos antes que estes cometam suas atrocidades. com o livro se passando num período pós guerra ( seria o mundo de Segunda Variedade após o retorno dos Humanos? ), cuja confiança no novo sistema penal é fundamental para o funcionamento do governo. Aqui somos levados a refletir sobre qual seria o melhor sistema para prevenir o crime, como julgar alguém que ainda não o cometeu e qual o papel da segurança pública.

O pagamento : Base do filme homônimo ( e outro dos meus prediletos), aqui a premissa inicial é a oposta do primeiro conto. Que tal um mercado baseado no apagamento de lembranças? Além disso, é mostrado como pequenos detalhes podem ser fundamentais em momentos-chaves, da mesma forma que no seriado "MacGyver -Profissão:  perigo". O quanto algumas vezes ter um barbante ou um durex na hora certa pode ser mais importante do que ter dinheiro.

O homem dourado: Fonte da ideia básica de "O vidente" ( um personagem capaz de ver alguns minutos no futuro), apenas a ideia base é aproveitada no filme policial de Nicolas Cage. No conto original temos um agência governamental caçadora de mutantes com poderes como este. Novamente retomando a questão da história ter sido escrita há mais de 50 anos, seria essa uma das inspirações para Stan Lee criar os "X-men" ?

Equipe de Ajuste:Base do filme "Agentes do destino", o conto é a única história com tom cômico, fechando o livro com um clima bem leve, lembrando até um pouco "O guia do mochileiro das galáxias" . O que você faria se o universo inteiro resolvesse dar um pausa pra manutenção? E a ideia de "O Pagamento" no qual pequenos detalhes tem grandes consequências é novamente colocada em prática.

  Para quem gosta de ficção científica e quer sair do tema "viagem espacial" ou simplesmente ver a origem de vários filmes ação  aqui temos um prato cheio! Compartilhem outras histórias onde a ideia de percepção de realidade alterada marcou você!

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Cemitério de Dragões- Legado Ranger


"Metamorfose!"

                Já imaginou se em "Caverna do Dragão" os heróis ganhassem armas tecnológicas para lutar contra o Vingador? Se o Jaspion se encontrasse com o He-man em Etérnia? Ou se tivesse existido um grupo de Powers Rangers na corte de Rei Arthur? Esse é o mundo de Cemitério de Dragões, escrito por Raphael Draccon, o mesmo autor de Dragões do éter e Fios de Prata!
dragões, Jaspion, literatura brasileira, literatura nacional, Policial do Espaço, Power Rangers, Raphael Draccon, Super Sentais, Tokusatsu,

       Em um mundo que varia de um império demoníaco a um reino de artistas marciais, 5 humanos são teleportados misteriosamente: uma artista marcial irlandesa, um soldado norte-americano, um hacker brasileiro, uma guerrilheira africana e um dublê francês. Cada um cai em um reino diferente onde precisam tanto dar um jeito de voltar para casa  quanto sobreviver a invasão dracônica que assola aquele terra, um lugar onde se acumulam pessoas de diversos mundos . Desta forma, precisarão da ajuda de uma tecnologia que mescla metal vivo, sangue de dragão e viagem interdimensional! Um grupo que heróis que funde os conceitos de Metal Heros (como Jaspion) com os de Super Sentai ( precursores do Powers Rangers)!
                  Quando pensamos em metal vivo  podemos nos recordar do Exterminador do Futuro 2 e seus sucessores, onde a nanotecnologia cria inteligências artificiais que fluem como líquido, capazes de assumir qualquer forma. Do outro lado temos os seres feitos de silício, como aparece em alguns episódios de Star Trek e os Transformers. Desenvolvendo o conceito de maneira própria,  aqui armas desse material misto entre o mineral e o orgânico é forjado por secretos grupos de alquimistas anões.
                  Cemitério de Dragões também faz jus ao nome. Os fragmentos de dragões são cobiçados como fonte de poder incalculável, usados para magia negra, fabricar armas incríveis ou matéria-prima para modificar magicamente outras criaturas. Me fez relembrar o ótimo episódio de Caverna do Dragão denominado" Cemitério dos Dragões", onde os heróis vão para reenergizar suas armas mágicas.
                 O livro é diretamente inspirados nos tokusatsus que passaram no Brasil, não se restringindo a saga dos Policias do espaço nem aos supergrupos como Changeman, mas pegando influencias de Ultraman, Kamen-Rider, inclusive outros mais raros como Lion Man . Uma das maiores diversões é justamente descobrir de onde saiu cada elemento!
                  E talvez uma das maiores homenagens seja justamente aos sentais, se destacando os arquétipos assumidos pelos heróis do livro.
                   Numa formação clássica temos o líder vermelho, normalmente o mais sério de todos e grande lutador. Curiosamente em Changeman essa seriedade permeia um pouco todos do grupo, já que são um esquadrão especial do exército.
                 Teremos sempre um personagem que é a mais feminina do grupo, normalmente a rosa e 50% das vezes namorada do vermelho. Variando um pouco o tema, na temporada Power Rangers Força do Tempo a Rosa era a mais durona, líder da equipe auxiliada pelo Azul, enquanto o vermelho começa como o engraçadinho do grupo que vai aprendendo a assumir responsabilidade.
                    O papel de engraçadinho do grupo costuma a pertencer ao azul, ao verde ou preto.  Normalmente por ser o paquerador, o rebelde sem causa ou apenas adorar um brincadeira ( melhor estilo"piadas do Homem-Aranha").
                     Também é necessário um cérebro pro grupo! Algumas vezes será o próprio líder com seu pensamento estratégico, outras vezes será um dos outros 4 com seu estilo gênio. Outras vezes será parte da equipe de apoio, o cientista que faz a manutenção do equipamento dos Rangers. Em Dai Sentai Goggle V toda história gira em torna dos cientistas do bem que lutam contra os cientista do mal, sendo o Staff dos Rangers composto por uma dúzia  de crianças superdotadas.
                   E ainda  precisamos dos músculos! Alguém lembra de Flashman, onde o verde tinha luvas de boxe cristalinas para atacar o adversário? Ou mesmo dos diversos sentais cuja fonte de poder do grupo vinha do treinamento em  artes marciais como Maskman, P.R.Tempestade Ninja ou P.R. Fúria da Selva ?
                   Por fim, apesar de ser um elemento mais recente, temos o ranger extra! Podendo ser de qualquer cor, inclusive tons metálicos. Ele costuma ser muito mais poderoso que o resto do grupo, até mesmo parecendo ser um personagem totalmente a parte! Na terceira temporada de Power Rangers, o ranger extra era um robô ninja que chegava numa nuvem voadora!  Em Power Rangers Força Mística é um cavaleiro de armadura dourada!! Isso quando não chegam como um ranger criado pelo próprio vilão na tentativa de duplicar os poderes dos heróis!!!
                    Desta forma, desconstruindo e mesclando esses arquétipos temos os protagonistas do livro. Então, entre no seu megazord e venha para o combate!
 

Foto: http://www.raphaeldraccon.com/blog/
           

               

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Ficcção científica brasileira



              Ler "Ficção científica Brasileira - Mitos Culturais no país do futuro" me deixou ao mesmo tempo muito feliz e triste. Triste pela raridade deste tipo de análise no Brasil e feliz  por existir um conteúdo tão incrível capaz de impressionar outros países.
           M. Elizabeth Ginway usa como  base o que considera os 4 elementos principais da ficção científica como base de seu estudo : o robô, o alienígena (incluindo mutantes), a cidade e a nave espacia, analisando como os mesmo são trabalhados ao longo das décadas no nosso país, resumindo a analisando as histórias mais marcantes de cada período. Assim, metade do livro é uma verdadeira coletânea de 3 décadas de histórias nacionais e metade uma análise profunda biopisicosocial dos mesmos.
           Começando nos anos 60, onde os raros clubes de ficção científica tem escasso acesso ao material estrangeiro, a produção brasileira começa a adquirir f orça e os elementos  refletem os arquétipos de relacionamento do masculino e do feminino assim como do senhor e do escravo existentes na nossa cultura tradicional
           Já nos anos 70 os mesmo são utilizados para a formulação de distopias críticas a ditadura brasileira, incluindo uma ficção científica produzia por Chico Buarque chamada"A fazenda modelo"! Usando uma fazenda onde experimentos de procriação são realizados com o gado, incorporando um pouco do tom de "A revolução dos bichos", Chico reflete sobre a sociedade atual e os modelos de administração da época. Aqui temos as primeiras pinceladas de reestruturação dos papéis sociais tradicionais e mesmo a semente da consciência ambiental.
              A partir do anos 80, com o fim da guerra fria, o acesso massivo ao material americano (tanto o Space Opera quanto ao Cyberpunk),  temos o florescimento da produção independente com a revisão tanto dos mitos nacionais 9 como o grandeza natural do país e da democracia racional) quanto dos arquétipos da ficção científica americana. Nem dominadoras nem salvadoras diretas da humanidades, a tecnologia transforma num misto de estranhamento e necessidade contínua de transformação, com certas similaridades ao antigo Movimento Antropofágico e analisando as várias possibilidades de evolução do nosso país.
               Desta forma, surgem os movimentos mais atuais de ficção brasileira, como o das Histórias Alternativas ( mostrando realidades onde a história do Brasil ocorreu de forma distinta) e o Tupinipunk ( onde temos o Brasil Cyberpunk, menos focado na realidade virtual e mais como a informática colides com costumes e misticismos locais).
               Se quiser conhecer mais da ficção científica e alguns sugestões estrangeiras e nacionais, entre aqui.. E esteja a vontade para sugerir as obras que também te marcaram!
     



segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Livros brasileiros resenhados pelo blog

Ola, Gente!

Hoje estou mostrando todos livros e revistas brasileiros que já resenhei desde a criação do Blog! Espero que gostem e que sugiram ainda mais material nacional!

Heroi Z - A revista que tenta manter o legado da Herói!

O Devorador de Almas Novo livro brasileiro que mistura ação de espionagem com suspense sobrenatural!

Almanaque dos quadrinhos Um guia para a história dos gibis no Brasil e no mundo!

Missão Cumprida  Autobiografia real do primeiro astronauta brasileiro!

400 imagens Mangá - Do começo ao fim Sérgio Peixoto, um dos principais escritores da antiga Animax tem seus melhores artigos sobre o mercado de mangás reunidos aqui!

Combo Rangers Uma homenagem aos animes e a nossa criança interior, o nosso Power Rangers brasileiro!

Anhanga -A Furia    Um pajé e um mago árabe se aliam contra um demônio elemental 1000 anos atrás!

O Portal    Um grupo de adolescentes do barulho é transportado do Brasil do século 20 para a França Medieval onde aprontará altas confusões num clima de muita azaração!

O Homem que Calculava  Mesclando a cultura árabe com as curiosidades da matemática, um matemático salva empresas e reinos!

Lua das Fadas  Buscando sua amiga desaparecida, Bianca se alia a um anjo para explorar a dimensão elemental do ar!

Os guardiões do tempo  Escrita por um cientista brasileiros, um grupo de adolescentes é transportado para o futuro onde a galáxia esta preste a entrar em guerra!

Batalha do Apocalipse   Na luta entre o céu e o inferno pelo domínio da humanidade, um anjo guerreiro e um feiticeira se unem para defender o planeta Terra!

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

A cosmologia de Cavaleiros do Zodíaco


      Com o lançamento do novo filme, resolvi reler minha coleção de mangas de Cavaleiros do Zodíaco ( Serie Clássica, Saga G, Lost Canvas e Next Dimension). Ao mesmo tempo, como fã das sagascósmicas dos gibis americanos, vez ou outro vejo "mapas" onde e' mostrada a estrutura dos multiverso da DC Comics e da Marvel.  Ate' o vlog Casa do Kame tem um vídeo falando sobre a cosmologia de Dragon Ball. Desta forma, resolvi fazer um mapeamento das múltiplas dimensões que aparecem em Saint Seiya!

    Na serie, o primeiro a falar de um mapeamento completo e' o cavaleiro Shaka de Virgem, baseado em algumas mitologias budistas e que usa seu poder para lançar seu golpe cujo efeito e' fazer o adversário ficar vagando por múltiplas dimensões. Então comecemos aqui para depois detalhar!


Inferno: Onde as almas dos pecadores são torturadas. Um ano depois seria a arena das aventuras contra Hades, senhor do mundo dos mortos. Existem ainda duas dimensões extrasligadas diretamente a esse mundo. O  Yomotsu Hirasaka, para onde o cavaleiro de Câncer manda seus adversários com o golpe Ondas do Inferno, funcionando como a fronteira entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos. E os temos os Campos Eliseus, separados do inferno pelo chamado Muro das Lamentações, onde apenas as almas daqueles escolhidos pelos deuses podem ir para descansar.

Anime, Ares, Athena, Cavaleiro de Virgem, Cavaleiros do Zodíaco, constelações, cosmologia, dimensoes, Hades, mangá, mitologia, Ondas do Inferno, Poseidon, Saint Seiya, Shaka, Ares,

Mundo dos Demônios: o nome diz tudo.Nunca foi detalhado na serie. Mas, de todos os servos de Hades, temos apenas um que não e' humano ou morto vivo, mas um demônio : Papillon, senhor das Fadas Inferno! Alem disso, na Saga G ( que se passa 5 anos antes da historia clássica), alguns Titans tem o poder de invocar monstros de uma dimensão desconhecida, como os Hecatorions( gigantes de 100 bracos), aprisionados pelos olimpianos no passado, dando a impressão que o Mundo dos Demônios e o Tártaro da Mitologia grega são o mesmo lugar no universo de Cavaleiros do Zodíaco.

Mundo dos Humanos: Da!?

Mundo das Feras: Habitado apenas por animais selvagens. Seria o domínio de deuses da natureza?

Mundo dos Combates: Onde as almas dos guerreiros lutam dia e noite! Considerando que logo no primeiro capitulo de Saint Seiya e' falado que um dos antigos inimigos de Athena era Ares, o deus da guerra, seria talvez a dimensão governada por ele e seus aliados.

Anime, Ares, Athena, Cavaleiro de Virgem, Cavaleiros do Zodíaco, constelações, cosmologia, dimensoes, Hades, mangá, mitologia, Ondas do Inferno, Poseidon, Saint Seiya, Shaka, Ares,
Mundo dos Deuses: O nome ja diz tudo, o plano dimensional onde devem estar localizados os diversos panteões com suas cidades sagradas e os homens santos/budas.

      Alem dessas dimensões existem outras menores, normalmente funcionando como prisões interdimensionais ( alguém falou em zona fantasma?), como aquelas acessadas pelo golpe Outra Dimensão do cavaleiro de Gêmeos ou o Triangulo de Ouro do marina Dragão Marinho ( provavelmente uma área ligada ao triangulo das bermudas).
Anime, Ares, Athena, Cavaleiro de Virgem, Cavaleiros do Zodíaco, constelações, cosmologia, dimensoes, Hades, mangá, mitologia, Ondas do Inferno, Poseidon, Saint Seiya, Shaka, Ares,

       Por fim, temos santuários ocultos que não estão em outra dimensão, somente escondidos em lugares remotos do planeta, como o Palácio de Poseidon, que encontra-se no fundo do oceano, ou o reino do Blue Warriors, os guerreiros mestres do gelo, oculto no norte da Europa, dando a impressão de que muitos reinos secretos governados por deuses próprios podem estar espalhados pelo planeta.
      Assim, Saint Seiya, que para alguns parece ser apenas um historia de luta entre guerreiros de armadura, tem uma estrutura complexa envolvendo reinos perdidos, prisões cósmicas
 e mundos fantasmas!






Fotos: http://mangasjbc.uol.com.br/cavaleiros-do-zodiaco-saint-seiya-14/  
           http://pt.saintseiya.wikia.com/wiki/Shaka_de_Virgem#comm-81539
          http://pt.saintseiya.wikia.com/wiki/Saga_de_Hades

domingo, 24 de agosto de 2014

Fios de Prata- Reconstruindo Sandman


    O reino dos sonhos é um dos lugares mais incríveis e enigmáticos para se visitar numa aventura. Afinal, em um lugar onde as fantasias e medos de todos os seres humanos se materializa as possibilidades são infinitas. Neste reino se passa a grande aventura : "Fios de Prata - Reconstruindo Sandman", de Raphael Draccon.
Sandman, Fios de Prata, Rapahel Draccon, editora Leya, Lost Canvas, Pedra dos sonhos, a origem, sonhos, pesadelos, Allejo
            E quem mais pra protagonizar um livro sobre a imaginação humana que o jogador de futebol Allejo?
            No livro, quatro entidades lutam pelo domínio do mundo dos sonhos. Madelein, anjo da inspiração. Morpheus, regente atual do mundo dos sonhos. Phantasos, deus da Fantasia, mestre das terras encantadas de duendes e fadas. Phobetor, Mestre da terra dos Pesadelos. Allejo, o maior esportista da planeta, é envolvido nessa guerra devido ao seu poder de inspirar milhões, algo fundamental numa realidade criada pela mente humana. Agora, o herói entrará numa batalha onde a vitória de cada pesadelo inspira os atos mais nefastos dos seres humanos e aonde um belo sonho pode curar uma alma.
            A primeira vez que lidei com uma história envolvendo sonhos foi quando tinha uns 8 anos de idade, quando estreou "A Pedra dos Sonhos" na TV cultura. Primeiramente um longa-metragem e depois um seriado, mostrava um mago cuja pedra encantada irradiava sonhos bons para o mundo. Mas, do outro lado do planeta , na Montanha da Maldade ( quer nome mais clássico?),  Zodrak controla um exército de pesadelos e de trols que desejam governam o mundo e a mente  das pessoas. O desenho era tão bom que a música tema era tocada pela orquestra filarmônica de Londres!
            Já os deuses dos sonhos tinha visto juntos todos pela primeira vez durante uma sagas de Saint Saiya-Lost Canvas, como deuses menores enviados por Hipnos para destruir os Cavaleiros de Athena mais poderosos!
            Mais tarde, em todo seriado, especialmente os de aventura, tinha pelo menos um episódio que se passava no mundo dos sonhos. Até a mais recente temporada de Powers Rangers( Megaforce ) que veio pro Brasil tem um episódio de um monstro que se alimenta de sonhos! Dos tokusatsus, um que me recordo bem por ter sido uma das primeiras fitas VHS alugadas por mim (tô ficando velho) é de um episódio do Policial de Aço Giban onde um cientista comercializa um aparelho no qual a pessoa pode programar os sonhos que deseja ter.
          No cinema, o Terror nos brindou com a franquia "A hora do Pesadelo", onde um fantasma de um assassino invade o sonho dos filhos de seus executores. Já a Ficção Científica nos deu"A Origem", onde espiões empresariais invadem os sonhos das pessoas para roubar segredos corporativos, discutindo a origem de nossas inspirações.
           No mundo dos games, Allejo era o nome do personagem de uma franquia de jogos de futebol que sempre era baseado no principal futebolista famoso no período do lançamento de jogo. Assim, Allejo transformou-se numa incorporação virtual do jogador dos sonhos da seleção brasileira.  
           Sandman é uma lenda americana que conhecemos como João Soneca, o duende que jogo areia do sono nos olhos das pessoas pra fazer elas dormirem. Sua forma mais clássica é visível no filme "A Origem dos Guardiões", onde alia-se ao Papai Noel, ao Coelho da Páscoa e à Fada do Dente para salvarem o mundo ( nunca imaginei que escreveria uma frase dessas...) O mundo dos quadrinhos teve um primeiro Sandmam, um super-herói da época da Segunda Guerra que usava gás do sono para atordoar seus adversários. Mas uma revolução estava por vir.
           Inspirado pelas histórias de Alan Moore, o artista Neil Gaiman  entra no mundo dos quadrinhos, criando seu próprio Sandman como uma encarnação atual do antigo deus Morpheus,. Na mitologia grega era o filho do deus do sono (Hipnos), tendo o poder de mudar livre mente de forma ( de onde vem o termo metamorfose) para enviar mensagens nos sonhos das pessoas ( por isso o guia de Neo no filme Matrix se chama Morpheus). Nos quadrinhos de Neil Gaimen, que escreve como se fosse uma mescla de fábula com heróis sombrios, Morpheus é um dos irmão imortais que controlam o universo, precisando assim recuperar seu poder roubado sobre o mundo dos sonhos.
                   Desta forma, o Sandman do título é tanto um nome do deus Morpheus quanto uma homenagem ao Neil Gaiman. Ao longo da história realidade e ficção se mesclam com notícias reais se no texto, hora para mostrar os triunfos das trevas, outros da luz, por vezes homenageando vários grandes autores da literatura mundial.
                   Quais os seus sonhos? Como eles e os de teus companheiros te influenciam? Qual o poder da imaginação humana sobre realidade? Bem vindos a guerra pelo domínio do Sonhar.
Para quem quer ver outras obras do Raphael Draccon também aconselho Cemitério de dragões .

Foto: http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=30178423&nm_origem=rec_404_geral&nm_ranking_rec=1

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Magic Girls e Sailor Moon 5

Quando penso em um reino de cristal a primeira coisa que me vem a mente e’ a fortaleza da solidão do primeiro filme do Superman. Talvez por isso eu vibrei tanto quando li o Volume 5 de Pretty Guardian Sailor Moon, onde 2 impérios de cristal cujo poder provem de tecnologias psíquicas, a cidade de Tóquio Cristal e o Palácio do Planeta Nêmesis, lutam entre si pelo domínio do sistema solar, o clímax e final da segunda saga da Sailor Moon!
Chibiusa, cristais, cristal de prata, histórias em quadrinhos, JBC, Vênus, lua, Luna, mangá, mitologia, Pretty Guardian, Rei Endymion, Romance, Sailor moon, Sailormoon, Serena, Tóquio Cristal, Usagi, Volume 5,

Sailor moon foi o definidor do gênero Magic Girl . Entre os outros clássicos temos Guerreiras Magicas de Rayearth (Fantasia medieval! Armaduras Magicas!! Robos Gigantes!!!) e Madoka Magica ( o verdadeiro Wachtmen do gênero, desconstruindo-o e mostrando a luta pessoal de todos contra as trevas do próprio coração). Mas o que fascina tanto nesse gênero ?
Como base usarei a relação do trio Usagi-Endymion-Chibiusa, pois esse trio e’ o núcleo da saga assim como da maturação dos personagens. Usagi e’ uma menina alegre e brincalhona, porem extremamente chorona, irresponsável e ate meio mimada, com a gata Luna agindo como um verdadeiro Grilo Falante para desenvolver o seu senso de dever tanto com as amigas quanto com o mundo, o que resulta na evolucao de seu poder como Sailormoon. Endymion e’ o príncipe encantado, mas não e’ perfeito, por vezes herói, por vezes vilão, ele também esta crescendo e aprendendo seu verdeiro papel. Por fim, Chibiusa, herdeira de Tóquio Cristal, e’ exatamente como Usagi no inicio da saga mas muito mais mimada! Então, quando Usagi lida com Chibiusa e' como se ela estivesse lidando com seu próprio lado infantil, que não pode ser nem exagerado nem ignorado, mas transformado.
Como saber em quem confiar? Quem e’ aliado e quem e’ inimigo? Quando saber quando alguém te machuca não por mal, mas por ignorância? Como saber quando alguém te ajuda por amor e não por interesse? Essas são questões normais da adolescência e que surgem nas heroínas (e heróis ) da historia, todos inicialmente solitários, muitas vezes manipulados e que vão aprendendo palatinalmente como observar o verdadeiro coração das pessoas e, a seguir, o próprio coração.
Todas essas questões são mergulhados no reino da imaginação humana, onde os desejos e sentimentos tornam-se as armas para lutar pelo bem ou pelo mal, sintetizando, assim, o fantástico gênero das Magic Girl.
No ocidente temos algumas produções que se aproximam do gênero, como H2O -Meninas sereias (seriado australiano adolescente sobre 3 heroínas com poderes elementais da água), 3 espias demais, W.I.T.C.H ( sobre um grupo de feiticeiras adolescentes que luta contra o mal)e o Clube da Winx (sobre um grupo de fadas que luta contra o mal). mais recentemente as novas aventuras da Tinker Bell e mesmo Monster High tem tracos desse gênero, misturando poderes mágicos com o desenvolvimento da personalidade feminina.

Se tiver outras sugestões de obras orientais e ocidentais boas que abordem o tema compartilhe conosco!

Foto:http://mangasjbc.uol.com.br/sailor-moon-05/

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Ficção científica e ficção especulativa

Coluna -Fora de órbita


Olá, meus queridos leitores! Comemorando a postagem número 70 e a mais de 3 mil visualizações do Letras e Aventura, falarei sobre um gênero que abarca todas as mídias e que aprecio muito, a ficção especulativa!

RAÍZES:

ficção cientifica, Ficção Espacial, Star Trek, Star wars, diselpunk, De volta para o futuro, ficção especulativa  “Nossa, Luiz! Mas nunca ouvi falar disso!” Conhece sim, mas pelo nome antigo de ficção científica! Muitos estão começando a usar o novo termo tendo como argumento abranger a grande explosão de romances de história alternativa. Como seria um mundo onde Napoleão ganhou a guerra? Ou se o Brasil ainda fosse uma monarquia? Ou se caísse uma nave alienígena cuja análise avançaria a ciência? Toda linha futurista da ficção científica não deixa de ser romances de história alternativa projetados para o futuro.

Creio que a lembrança mais antiga que tenho são os dos Cybercops, um seriado japonês de tokusatu onde um grupo especial da polícia usava armaduras robóticas para lutar contra um exército de robôs enlouquecidos. A história ganharia ainda mais elementos do gênero, como viagens no tempo. Nos livros, o primeiro livro que me marcou foi “A 7 faces da ficção espacial”. A coleção “7 faces” era constituída por livros contendo cada volume 7 contos de um único tema. E minha mente, acostumada aos Superamigos, Star Trek, Star Wars e Tokusatsus, se abriu ainda mais mais sobre as possibilidades da ficção especulativa com essa obra.


VIAGENS:

A conquista espacial acabou transformando-se no sinônimo de ficção científica nas últimas décadas, com a dupla cinematográfica Star Wars e Star Trek como o grande ápice e origem da principais imagens que aparecem na mente da maioria quando pensam no assunto. No quadrinhos Flash Gordon, o herói terrestre que viaja pelos vários territórios do Planeta Mongo para destruir o Imperador Ming, foi o grande marco do gênero. A ideia de explorar reinos exóticos cheios de tesouros e com costumes estranhos existe há milênios e esse arquétipo da equipe de exploradores é a base desse gênero, por vezes fundido com o do herói que luta contra o império do mal.
O próprio Superman, pai dos quadrinhos de super-heróis, tem origem alienígena, assim como a grande ameaça que une os heróis de “Os vingadores”. O próprio céu tem fenômenos que já assombravam na antiguidade, como os eclipses e meteoros. A exploração dos mesmos pela ciência moderno amplificou ainda mais a magia dos seus mistérios: buraco negros, anti-matéria, estrelas exóticas e toda tecnologia espacial.
Mas não é apenas de olhar para os céus que se nutre a ficção científica, mas também para a Terra e mesmo dentro do ser-humano. Neste último, o exemplo mais extremo é o clássico "Viagem fantástica", onde um grupo de pesquisadores encolhe e entra no corpo de um homem para curá-lo. Nos quadrinhos o Tio Patinhas realizou sua viagem ao centro das folhas em busca do segredo da fotossíntese. Ou como esquecer as milhares de versões do "Viagem ao Centro da Terra"?
ficção cientifica, Ficção Espacial, Star Trek, Star wars, diselpunk, De volta para o futuro, ficção especulativa Nesta buscas por mundos exóticos, reinos futuristas se escondem no interior da terra em muitos histórias, como frequentemente vivenciou Tarzan nos quadrinhos. Temos ainda os mundos criados pelos computadores. A realidade virtual fornece possibilidades infinita, como já nos mostrou “Matrix” e “O Passageiro do futuro”. Me lembro de um seriado chamado “”Vr5”, onde uma garota herdou uma tecnologia de realidade virtual em que a pessoa que atendia seu telefone era lançada num mundo gerado por computador onde ela podia interroga-lo.
E, se estamos falando de viagens, porque não viajar pelo próprio tempo? Caminhar com os dinossauros ou tentar ficar milionário prevendo o futuro? Acho que o melhor exemplo é a trilogia “De volta para futuro” ( e que teve um desenho animado igualmente bom), mas temos ainda boas opções como o livro de HG. Weels ”A maquina do tempo”, o filme de ação “Time Cop- O Guardião do Tempo”, até um dos melhores jogos de vídeo-game das tartarugas ninjas abordar muito bem essa temática. Incluo aqui a ideia das terras paralelas onde a história tomou outro rumo, como no seriado “Sliders-Dimensões Paralelas”.
Para quem quiser conhecer dimensões alternativas recomendo muito o livro “Diselpunk”, da editora Drako, uma coletânea de ótimas novelas que se passam cada uma em um Brasil alternativo diferente, baseadas no futurismo do início do século 20. Narrativas indo desde um combatente do crime num Brasil Soviético até uma guerra robótica entre Argentina e Brasil.
Gosto de enfocar na questão de viagens porque o próprio processo de leitura e escrita de ficção é mergulhar em mundo criado por nossa imaginação .E agora vamos brincar um pouco com o termo.

DIVERSIDADE: 

           Se usarmos a ideia de ficção especulativa de forma abrangente, toda obra de fantasia seria abarcada. No entanto, não seria a ficção científica um subgênero da linha de fantasia, usando como foco as curiosidades e mistérios das mais diversas áreas do conhecimento? Assim, fica muito mais compreensível a existência de obras como He-man e Os Caça-Fantamas onde o sobrenatural e a tecnologia se misturam de forma maravilhosa.
Se o termo ficção científica se refere as histórias que usam a ciência como foco, será que não poderíamos classificar algumas série cultuadas como desse estilo, mas que ninguém imagina? CSI e seus clones focam no uso da tecnologia para resolver crimes. “House” mostra as curiosidades da ciência médica para resolver casos, “The Mentalist” usa as ciências humanas para prender criminosos.  Graças a esse seriados que atualmente pudemos ter “The Marvel’s Agents of Shield”, uma das principais obras de ação e ficção científica atual.
Talvez o melhor exemplo disso tudo seja a linha de livros de Roobin Cook, especialista em suspense médico, onde todas as suas obras tem um toque de ficção cientifica, indo da clonagem a supercomputadores, com 90% do enredo sendo uma história de mistério no nosso mundo atual cujo segredo está em alguma tecnologia que ultrapassa discretamente nossa ciência cotidiana.
Assim, estamos em um novo período da ficção científica marcada pela renovação de Star Trek e Guerra nas Estrelas, mas talvez ainda mais pelos filmes de heróis da Marvel cujos poderes e ameaças são originários das ciência. Há uma canal apenas sobre o tema ( Syfy)  e entramos numa nova onda de robôs em todas as mídias.
Por fim, sou fã de aventuras fantásticas no geral, porém, a ficção especulativa tem algo que me fascina, que é a capacidade de refletir sobre a interação entre o homem e a tecnologia, mais precisamente, entre o homem e o conhecimento.Vermos como enfrentar nossos pesadelos, dar-nos ideias para construir maravilhas e nos despertar ainda mais o interesse pelas maravilhas do universo.

Obras do Gênero resenhadas pelo blog até o momento:



Fotos: http://www.freepixels.com/Objects/Computers_and_Technology/pic5948.html e http://www.freepixels.com/Abstract_and_Concept/Backgrounds/pic5708.html

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Entrevista- Devorador de Almas

   Olá, meus amigos! Hoje temos a entrevista com o incrível Paulo Dumi, criador do livro de suspense e ação O Devorador de Almas , que está sendo lançado hoje como ebook pela Amazon  :
André Vianco, ação, HP Lovecraft, noir, O Devorador de Almas, Paulo Dumi, Stephen King, suspense, terror,, amazon


Como iniciou sua vida de escritor?
Então, se vamos falar friamente como começou, posso arriscar em dizer que foi em 2007, quando eu ainda cursava a faculdade de jornalismo. Lá havia uma matéria chamada jornalismo literário, e a professora que nos ensinava é escritora. Com a aproximação, fui aprendendo mais sobre o ramo literário com ela. No ano seguinte, fui selecionado para participar da minha primeira antologia publicada (Anno Domini – Manuscritos Medievais, Editora Andross, 2008). E desde então vou escrevendo.
Agora, se fomos analisar todo o contexto, desde pequeno sempre fui incentivado a ler. Isso fez com que na minha adolescência eu me aproximasse do RPG e quadrinhos japoneses, e sob tais influências fui escrevendo as minhas primeiras histórias, embora nunca tenham sido publicadas em lugar nenhum (risos).

De onde veio a ideia para o livro?
O livro atual veio depois de eu assumir que o projeto anterior em que eu estava trabalhando não iria vingar – pelo menos não naquele momento. Eu me sentia incomodado em não escrever um romance, e precisava disso. O Devorador de Almas surgiu como uma daquelas histórias em que o autor abre a mente e “vê o que dá”. Claro que isso sempre é um risco – e quem pensa em escrever desta forma não aconselho a fazê-lo (risos), pois você pode chegar em um momento em que não tem como progredir com a história, e se para o leitor já é frustrante, imagina para o escritor, que gastou tempo e neurônios elaborando a história e de repente descobrir que ela não vai levar nada a lugar nenhum...
Felizmente não foi isso o que aconteceu com o O Devorador de Almas. A ideia original foi buscar um protagonista que fugisse daqueles padrões de herói, mas que também não fosse um antagonista. Que não fosse tão ruim, mas que também não fosse tão bom. Foi assim que surgiu o Carlos. Em seguida decidi por colocá-lo em um ambiente meio Noir, e logo veio a mente bares, boates, a noite fria, ambientes que trouxessem certa inquietude para o leitor. E, como que naturalmente, vieram os demais personagens secundários. Como em um jogo de xadrez, o tabuleiro da história estava montado e as peças estavam posicionadas. Agora era só realizar as jogadas de cada personagem. E foi assim que cheguei ao clímax e no fim, apenas jogando o jogo.

Quais os principais fontes de inspiração?
Bom, eu não me preocupei muito com essa questão de inspiração, mas posso dizer que os livros do André Vianco me ajudaram muito para elaborar as cenas. É um autor que julgo que trabalha muito bem com o terror em seus livros. Também busquei um pouco de Stephen King e HP Lovecraft (este último inclusive para trabalhar um pouco a figura do Demônio) para o clímax. Para alguns cenários busquei referências de alguns filmes de suspense.

Planeja fazer uma continuação ou outras obras?
Por enquanto acho que o O Devorador de Almas não precisa de continuação – embora tenha história para tal. Atualmente estou trabalhando no meu segundo projeto. Este sim será maior, e certamente terá mais do que um livro. Quero trabalhar com algo que misture dados históricos com a ficção. Já tenho o tema definido, mas ainda estou em trabalho de concepção da história. Portanto, qualquer novidade postarei no meu blog (risos). Enquanto isso, espero que os leitores curtam O Devorador de Almas!

Quer deixar um recado para os leitores?

Quero sim.
Acho que, quando um autor se dedica a publicar uma obra, é porque ele sabe da importância que aquela história pode fazer na vida das pessoas que o lêem. Seja qual tema for, qual for o interesse, a leitura tem uma função extremamente importante na vida de um ser humano.
A vida de escritor é assim: de nada adianta ter um Senhor dos Anéis, ou um Harry Potter em seu poder, se aquela história não puder mudar as pessoas. Quantas crianças começaram a gostar de ler e criar um hábito de leitura graças a Harry Potter? Quantas pessoas não foram envolvidas pelo fenômeno Código da Vinci? O livro é um meio riquíssimo de crítica, mesmo sendo ruim – pois o fato de ser ruim já faz com que o leitor faça uma crítica sobre a obra. E é isso que os autores – os verdadeiros autores – buscam em seus leitores: mudanças que sejam benéficas para as suas vidas. Espero que O Devorador de Almas seja um livro que entretenha e que venha a agregar algo de valor para quem o ler. 

Agradecemos pela oportunidade e desejamos sucesso!