segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Batalha do Apocalipse

anjos, apocalipse, Demônios, Eduardo Spohr, literatura brasileira, mitologia,



    Os exércitos etéricos lutam entre si pelo comando da Terra. De um lado Lúcifer, senhor dos anjos caídos e das almas humanas corrompidas pelo poder da escuridão, cujo reino reino fora construído sobre o cemitérios de antigos deuses mortos. Do outro o arcanjo Miguel com seu exército celestial, ansioso para exterminar a humanidade que considera indigna do legado de Deus, este em profundo sono há milhares de anos. Para defender a humanidade dessa guerra milenar se reerguer o anjo Ablon e a feiticeira imortal Shamira, unidos para cancelar a guerra que está prestes a ser travada entre os 2 exércitos quando as barreiras que separam as realidades caírem.
Num tom extremamente épico, este livro brasileiro de Eduardo Spohr vai contando a história do casal de protagonistas ao longo das eras para defender a humanidade das guerras astrais e de si mesma. Temos uma saga estilo "Conan" que se passa na época de construção da Torre de Babel, uma jornada pelo oriente contra espíritos malignos com lutas lembrando "Mortal Kombat", travessias pelo inferno como "Divina comédia" e coadjuvantes celestiais e infernais como em "Paraíso Perdido", com o grande clímax da guerra total pelo controle da terra num futuro próximo! Tanto Shamira quando Ablon vão evoluindo, aprendendo cada vez mais sobre a humanidade e sobre si mesmo, culminando na descoberta de real fonte de seus poderes como anjo e humana.
Alguns podem acusar de plágio com o seriado "Supernatural", em que os irmãos protagonistas, nas últimas temporadas, defendem o mundo das guerras civis celestiais e infernais onde arcanjos e arquidemônios lutam entre si pelo poder enquanto Deus encontra-se desaparecido ( mas atuando nas sutilezas em favor do bem e da humanidade). No entanto, essa temática é muito mais antiga, com uma das mais recente provas disso a saga do "Spawn" publicada pela  editora Pixel no Brasil, que contem exatamente a mesma base muito antes de Supernatural e cujo roteirista fala ter usado de inspiração uma parcela dos evangelhos apócrifos gnósticos (onde qualquer um que lê vê nesses escritos de 1000 anos atrás a mesma temática).  A mesma idéia é usada em maior ou menor grau há seculós para histórias, incluindo seriados como "X" , " Saint Seiya", "Xena- A princesa guerreira", entre outros. O livro se destaca pela mistura mitlógica, pela ótima construção dos personagens, por ocorrer ao longo de diversas regiões e eras e num estilo de aventura épica própria, com profundas reflexões sobre o livre arbítrio.
Assim, que quiser tem uma boa aventura onde o destino do planeta e suas múltiplas dimensões está em jogo o livro é uma prato cheio!
       Fotos e mais informações: http://filosofianerd.blogspot.com.br/2009/10/tutorial-como-ler-batalha-do-apocalipse.html